Revista Brasileira de Epidemiologia – Volume 21 – suplemento 2

Maria Lúcia Lebrão

Desde 2002, quando estava em seu quinto volume, a Revista Brasileira de Epidemiologia vem complementando os seus números trimestrais com suplementos voltados a temas de claro interesse para a epidemiologia e a saúde, tanto em aspectos da investigação acadêmica como naqueles relativos à gestão social.

Assim, pelos oito suplementos já publicados circularam questões de grande interesse, como os inquéritos nacionais de saúde, planos diretores para o desenvolvimento da epidemiologia, textos de mesas-redondas do V Congresso Brasileiro de Epidemiologia, inquéritos populacionais, infecção por vírus da imunodeficiência humana (HIV), Pesquisa Nacional de Saúde, Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e determinantes sociais da saúde.

Este nono suplemento trata de um fenômeno que vem acumulando interesse e relevância no mundo todo – o envelhecimento -, por meio da apresentação de investigações e resultados do Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE).

Um dos primeiros esforços para obter informações de forma sistemática sobre condições de vida do idoso, o projeto foi desenvolvido em São Paulo e em mais seis cidades da América Latina e do Caribe1. O Ministério da Saúde, a Universidade de São Paulo (USP), O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) apoiaram o SABE em São Paulo desde o início, e o estudo tornou-se, em 2006, do tipo painel, com replicações em 2010 e 2015. Esse desenho possibilita, entre outros esquemas de análise, estudar dois tipos de mudanças: aquelas presentes nos indivíduos durante o envelhecimento e as mudanças ocorridas na sociedade que se refletem em cada faixa de idade2.

O presente suplemento traz resultados de investigações realizadas com os dados de 2010, algumas delas incorporando de forma longitudinal as informações de 2000 e 2006. A ampla variedade dos assuntos e o grande interesse que despertam deverão fazer deste suplemento um marco nas publicações sobre a epidemiologia do envelhecimento.

É interessante ressaltar que tanto o campo de conhecimento formado pela epidemiologia do envelhecimento como o próprio Estudo SABE constituem difíceis desafios para pesquisadores e estudiosos, a primeira pela amplitude do objeto de estudo, e o segundo pela complexidade na concepção, organização, acompanhamento, auditoria e administração de recursos humanos ou materiais.

Foram esses exatos desafios que Maria Lúcia Lebrão, professora titular do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, abraçou desde o início do estudo: trabalhou nele na sua formatação, na adequada tradução de questionários padronizados, no acompanhamento do processo de amostragem, no recrutamento e gerenciamento do pessoal de campo, nas revisões dos questionários, na formatação dos bancos, nas auditorias de campo e de processamento. Ruy Laurenti foi seu parceiro nas ações iniciais, e Yeda Aparecida de Oliveira Duarte permaneceu com Lúcia naquelas atividades e nas que se seguiram – análises e publicações dos resultados, recrutamento de estudantes de pós-graduação, seminários de acompanhamento e atualização, publicação de resultados.

Para a tristeza de todos os que com ela conviviam, Lúcia foi-se prematuramente, sem deixar de apoiar as atividades nem de acompanhar o SABE até seus últimos dias e suas forças permitiram. Mas ela permanece no SABE e entre todos os que procuram o conhecimento e a pesquisa, com o objetivo de promover as mudanças necessárias para conduzir a um envelhecimento melhor. Como ela mesmo afirmou, “a ideia de pessoas idosas associada a doenças e dependência tem de ser substituída por mudanças que as façam permanecer mais tempo ativas e independentes”.

Neste suplemento Lúcia é autora de vários textos, incluindo o capítulo “Antecedentes, metodologia e organização – 10 anos do Estudo SABE”. É a melhor narrativa histórica do estudo e, de certa forma, a história dela mesmo.

Acesse o Volume 21 – suplemento 2 da RBE – Revista Brasileira de Epidemiologia – na base SciELO

Editorial
Apresentação do suplemento – Jair Licio Ferreira Santos

Artigo Especial
10 Anos do Estudo SABE: antecedentes, metodologia e organização do estudo – Maria Lúcia Lebrão; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Jair Lício Ferreira Santos; Nilza Nunes da Silva

Artigos Originais
Redes sociais e funcionalidade em pessoas idosas: evidências do estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE) –
Tábatta Renata Pereira de Brito; Daniella Pires Nunes; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Iniquidades raciais e envelhecimento:análise da coorte 2010 do Estudo Saúde,Bem-Estar e Envelhecimento (SABE) – Alexandre da Silva; Tereza Etsuko da Costa Rosa; Luís Eduardo Batista; Suzana Kalckmann; Marília Cristina Prado Louvison; Doralice Severo da Cruz Teixeira; Maria Lúcia Lebrão

Idosos não japoneses, japoneses e descendentes de japoneses no Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento: condições funcionais e de saúde – Tamara Nogueira Petroni; Daniella Pires Nunes; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Helena Akemi Wada Watanabe; Maria Lúcia Lebrão

Sobrevida de idosos e exposição à polifarmácia no município de São Paulo: Estudo SABE – Nicolina Silvana Romano-Lieber; Ligiana Pires Corona;  Liete Fatima Gouveia Marques; Silvia Regina Secoli

Tendência da prática de automedicação entre idosos brasileiros entre 2006 e 2010: Estudo SABE – Silvia Regina Secoli; Erika Aparecida Marquesini; Sandra de Carvalho Fabretti; Ligiana Pires Corona; Nicolina Silvana Romano-Lieber

Doenças cardiometabólicas – Sandra Roberta Gouvea Ferreira; Alexandre Dias Porto Chiavegatto Filho; Maria Lúcia Lebrão; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Ruy Laurenti

Prevalência e fatores associados à sarcopenia, dinapenia e sarcodinapenia em idosos residentes no Município de São Paulo – Estudo SABE – Tiago da Silva Alexandre; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Jair Lício Ferreira Santos; Maria Lúcia Lebrão

Desigualdades sociais na autoavaliação de saúde dos idosos da cidade de São Paulo – José Leopoldo Ferreira Antunes; Alexandre Dias Porto Chiavegatto Filho; Yeda Aparecida Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Condições pregressas e saúde no estudo “Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento”  – SABE – Jair Lício Ferreira Santos; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Perfil de saúde bucal de idosos não institucionalizados e sua associaçãocom autoavaliação da saúde bucal – Fabíola Bof de Andrade; Doralice Severo da Cruz Teixeira; Paulo Frazão; Yeda Aparecida Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão; José Leopoldo Ferreira Antunes

Estado nutricional de idosos fumantes e ex-fumantes da cidade de São Paulo, Brasil – Isis Bonfitto Gonçalves; Maria Lúcia Lebrão; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Gabriela Arantes Wagner; Dirce Maria Trevisan Zanetta

Sintomas depressivos em idosos do município de São Paulo, Brasil: prevalência e fatores associados  – Estudo SABE – Cristiane Lara
Mendes-Chiloff; Maria Cristina Pereira Lima; Albina Rodrigues Torres; Jair Lício Ferreira Santos; Yeda Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão; Ana Teresa De Abreu Ramos Cerqueira

Comparação do estado nutricional e da ingestão alimentar referida por idosos de diferentes coortes de nascimento (1936 a 1940 e 1946 a 1950): Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento –  SABE – Maria de Fátima Nunes Marucci; Manuela de Almeida Roediger; Daiana Aparecida Quintiliano Scarpelli Dourado; Denise Rodrigues Bueno

Fatores associados às alterações de equilíbrio em idosos residentes no município de São Paulo em 2006: evidências do Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento  – SABE – Angela Bushatsky; Luciana Correia Alves; Yeda Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Relação de quedas em idosos e os componentes de fragilidade – Gisele Patricia Duarte; Jair Lício Ferreira Santos; Maria Lúcia Lebrão; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte

Problemas de sono em idosos estão associados a sexo feminino, dor e incontinência urinária – Claudia Roberta de Castro Moreno; Santos, air Lício Ferreira Santos; Maria Lúcia Lebrão; Melissa Araújo Ulhôa; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte

Padrão do desempenho nas atividades de vida diária em idosos no município de São Paulo, nos anos 2000, 2006 e 2010 – Daniella Pires Nunes; Tábatta Renata Pereira de Brito; Karla Cristina Giacomin; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Cuidadores de idosos e tensão excessiva associada ao cuidado: evidências do Estudo SABE – Daniella Pires Nunes; Tábatta Renata Pereira de Brito; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Maria Lúcia Lebrão

Fragilidade em idosos no município de São Paulo: prevalência e fatores associados – Yeda Aparecida de Oliveira Duarte; Daniella Pires Nunes; Fabíola Bof de Andrade; Ligiana Pires Corona; Tábatta Renata Pereira de Brito; Jair Lício Ferreira dos Santos; Maria Lúcia Lebrão

Referências do editorial
1. Lebrão ML, Laurenti R. Health, Well-Being and aging: the SABE Study in São Paulo, Brazil. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(2): 127-41. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2005000200005 [ Links ]

2. National Research Council. Committee on Population and Committee on National Statistics. Division of Behavioral and Social Sciences and Education. Preparing for an aging world: the case for Cross-National Research. Panel on a Research Agenda and New Data for an Aging World. Washington, D.C.: National Academy Press; 2001. [ Links ]

Comments

comments

Deixe uma resposta