Sessões temáticas discutem determinantes da saúde em conferência no Recife


04 de setembro de 2013 – Por Flaviano Quaresma

 

Fotos de Flaviano Quaresma                                                                                                     

Jairnilson Paim, Jurandi Frutuoso e Ligia Bahia

na sessão temática Acesso e qualidade dos serviços de saúde


Terminou nesta quarta (4/09), a primeira de uma série de conferências regionais que serão realizadas no país sobre Determinantes Sociais da Saúde. Esta aconteceu no Recife, discutindo as questões referentes à região Nordeste. No segundo dia de evento (3 de setembro), sessões temáticas discutiram a complexidade de determinantes da saúde para os novos tempos. Entre os temas estavam “Água e Saneamento”, “Grandes projetos e seus impactos na saúde”, “Acesso e qualidade dos serviços de saúde”, “Violência e drogas” e “Segurança alimentar e nutricional e inclusão produtiva”.

 

Na tarde desta quarta, os relatores das sessões apresentaram os pontos discutidos pelos debatedores das mesas para o grande público presente na conferência. Entre os abrasquianos como Raquel Rigotto (sessão temática “Água e Saneamento) e Malaquias Batista (sessão temática "Segurança alimentar nutricional e inclusão produtiva"), estavam Ligia Bahia e Jairnilson Paim na sessão temática “Acesso e qualidade dos serviços de saúde”. De acordo com Ligia Bahia, sistemas de saúde podem criar desigualdades, exacerbar desigualdades ou reduzir desigualdades. “Não há sentido ter um sistema de saúde para criar ou exacerbar desigualdades, ele precisa reduzi-las”, ressaltou. [na foto à esquerda, Malaquias Batista]

 

A debatedora explicou que no Brasil, desde a implantação do SUS, houve uma ampliação da oferta dos serviços de saúde, mas que em paralelo a isso, houve uma diminuição/estagnação da proporção de postos de trabalho de médicos, enfermeiros e técnicos-auxiliares. “O Nordeste é a região que recebe menos recursos para a saúde e não há uma justificativa técnica para isso, mas político-partidária”, afirmou. Ligia Bahia ainda enfatizou que o sistema de saúde brasileiro é segmentado e orientado pelo mercado, “por isso, de péssima qualidade, tenho as minhas certezas. O problema do Brasil é a distribuição desigual”.

 

 

 

 


 

Já Paim disse que determinantes sociais da saúde não podem ser reduzidos a variáveis. “É preciso entender que acessibilidade e qualidade devem ser atributos de um sistema de saúde”, afirmou.


Todos os conteúdos apresentados durante a 1ª Conferência Regional sobre Determinantes Sociais da Saúde do Nordeste estão disponíveis no site

 

 

 

 


 

Comments

comments

Deixe uma resposta