Nota da ABRASCO de apoio ao SINPAF e contra a criminalização dos movimentos sociais


A saúde é um direito de todos trabalhadores conquistado pela Reforma Sanitária que culminou com a Constituição Brasileira e a criação do SUS. Mas esse direito está cotidianamente ameaçado em nosso país como tem sido ecoado pelas ruas, e principalmente, quando se trata da luta por melhores condições de trabalho.


Recentemente, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário-SINPAF ao denunciar as precárias condições de trabalho dos servidores da Embrapa em seu campo experimental de Manaus, diagnóstico confirmado por meio de visita de técnicos do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST Estadual, CEREST Regional e vigilância sanitária do município de Manaus, teve seus dirigentes citados judicialmente por injúria e difamação por ação da EMBRAPA. Mais detalhes sobre o ocorrido, onde a ABRASCO disponibilizou no seu site um documentário que relata o ocorrido, podem ser encontrados na reportagem do site Viomundo do jornalista Luiz Carlos Azenha.


O SINPAF, em sua atual gestão criou uma diretoria de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente e tem sido parceiro da ABRASCO na elaboração do Dossiê sobre os impactos dos Agrotóxicos na Saúde e na Campanha Contra os Agrotóxicos e pela Vida . Além dessas ações o sindicato apoia a pesquisa "Processo de trabalho rural em uma empresa de pesquisa agropecuária do Brasil: as atividades dos trabalhadores e a relação com o processo saúde-doença sob a perspectiva da ergologia" que se trata de uma parceria da Universidade de Brasília com Aix Marseille Université, da França.


A ABRASCO vem por meio dessa nota repudiar a postura da direção da EMBRAPA. Ao invés de se preocupar em atender plenamente as demandas por melhores condições de trabalho de seus servidores, a EMBRAPA resolveu acionar judicialmente o SINPAF como recentemente foi denunciado em audiência da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal que discutiu o tema.


Os sanitaristas brasileiros esperam que a EMBRAPA reveja sua postura e torne-se uma estatal modelo na garantia de condições de trabalho a todos os seus servidores, fundamental nos tempos em que sua atuação estende-se até para fora do Brasil,envolvendo países como a África.

ABRASCO, 4 de julho de 2013

Comments

comments

Deixe uma resposta