Discussão sobre Revisão da Política Nacional de Promoção da Saúde abre conferência no Recife


2 de setembro de 2013 – Por Flaviano Quaresma

 

Profissionais e trabalhadores da Saúde de vários municípios de Pernambuco participaram.

 

Deu início nesta segunda e segue até 4 de setembro no Recife, a primeira de uma série de conferências regionais que serão realizadas no país como desdobramento da Conferência Mundial sobre Determinantes Sociais da Saúde (CMDSS), realizada em 2011 no Rio de Janeiro. Das 9 às 17h, como atividade pré-conferência, ocorreu a discussão da Revisão da Política Nacional de Promoção da Saúde, promovida pelo GT de Promoção da Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

 

Regiane Rezende (OPAS), Simone Moysés (PUC-PR)  e Ronice Franco de Sá (UFPE/UIPES)
integrantes do GT de Promoção da Saúde da Abrasco.


Simone Moysés (PUC-PR), Regiane Rezende (OPAS) e Ronice Franco de Sá (UFPE/UIPES) integrantes do GT de Promoção da Saúde da Abrasco comandaram as atividades da manhã desta segunda (2). Segundo Regiane, o objetivo da atividade é traçar estratégias de diálogo com os vários atores sociais (profissionais e trabalhadores da Saúde ou não) inseridas nos novos contextos, já que a Política Nacional de Promoção da Saúde é de 2006. “Quais são as realidades do novo contexto? Como a política deve dialogar com a diversidade de contextos que se apresenta?”, ressalta Simone Moysés.


Ronice ressalta que a proposta é fomentar o compromisso das pessoas com a Política Nacional de Promoção da Saúde. Para isso, disse, “a Política precisa ser recontextualizada. Passar pelas vozes das pessoas para que elas possam indicar as prioridades de cada região, de cada cidade, de cada localidade”. Essa é a primeira de uma série de “oficinas” de consenso para identificar, a partir das vozes dos envolvidos no processo, o que é de governabilidade da Saúde e o que é ação de outros setores e, dessa forma, possibilitar uma articulação. “Com as oficinas, queremos de fato ouvir o grito das ruas”, pontuou Ronice.

 

Deborah Carvalho Malta, diretora da Secretaria de Vigilância em Saúde
(departamento de vigilância de doenças e Agravos Não Transmissíveis
e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde

 

Para Deborah Carvalho Malta, diretora da Secretaria de Vigilância em Saúde do MS, retomar essa discussão com a Abrasco, por meio do GT Promoção da Saúde, é fundamental. “Queremos garantir ampla participação dos públicos já sensibilizados e dos que ainda estão por se sensibilizar. Por isso, estamos planejando um processo amplo de consulta pela Internet por meio do Formsus, do Ministério da Saúde, que é um serviço de uso público, e pelo Grupo Delphi (mais direcionado)”, conta. Deborah explica que o maior desafio será conseguir a participação ampla do público, principalmente porque os públicos são múltiplos: representações populares, gestores, profissionais e trabalhadores da Saúde.


Como foi o documento de diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde de 2006, este que se inicia um processo de revisão de metodologias busca propor apontamentos importantes de ações para gestores municipais e estaduais. “O objetivo é alcançar o consenso para que possamos validar uma nova Política Nacional de Promoção da Saúde e novas prioridades de atuação”, enfatizou Deborah.

A próxima oficina de discussão (Sudeste) será realizada em novembro no Rio de Janeiro, durante o VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, na UERJ. A oficina Centro-Oeste está prevista para março de 2014, como também a Sul, para abril.

Comments

comments

Deixe uma resposta