CALASS 2013 Congresso anual da Associação Latina de Análise dos Sistemas de Saúde


18 de julho de 2013

 

A ALASS – Associação Latina para a Análise de Sistemas de Saúde – organiza seu congresso anual em Rennes, França, de  29 a 31 de agosto de 2013.


Rede de acadêmicos (professores e pesquisadores) e de profissionais (gestores, planejadores, formuladores de políticas) no campo da saúde, interessados em contribuir para a solução de problemas referentes aos sistemas de saúde, a ALASS favorece a troca de experiências, privilegiando uma abordagem multidisciplinar que enfatiza uma visão global das questões e uma visão sistêmica de solução.

 


Tendo em vista as múltiplas dimensões dos sistemas de saúde (comunitárias, organizacionais, profissionais, sociológicas, políticas, econômicas, etc), a ALASS não restringe seus campos de investigação e integra, entre outros, o conceito de políticas, a regulação dos sistemas, o planejamento, o financiamento e a gestão. Isto permite considerar o impacto das soluções sobre a organização, a gestão de recursos humanos, a satisfação dos clientes, etc,.

 

Para 2013, a ALASS escolheu como tema principal do CALASS « As enfermidades crônicas : um desafio para os sistemas de saúde, um desafio para a sociedade » . Asma, câncer, diabete, doenças cardiovasculares, HIV, doença de  Alzheimer, distúrbios psiquiátricos, etc., milhões de pessoas padecem de pelo menos uma doença crônica, necessitando com frequência de cuidados prolongados. Os progressos médicos e o aumento na expectativa de vida tendem a acentuar a amplitude desse fenômeno. 

 

Diversos profissionais se tornam necessários: sanitários, médico-sociais, sociais, bem como o apoio dos gestores locais e nacionais eleitos, além das associações de pacientes e familiares. Essas doenças crônicas são frequentemente acompanhadas de comorbidades, o que leva à necessidade de cuidados mais complexos.

 

Seu financiamento, tendo em vista sua amplitude, já é um obstáculo a superar. Portanto, as enfermidades crônicas não são apenas um desafio para a saúde pública, mas certamente se refletem na sociedade como um todo.  Para esses pacientes passa a se colocar a passagem dos cuidados pensados como uma sucessão de ações pontuais e independentes para cuidados coordenados por diversos itinerários clínicos. De fato, trata-se de evitar intervenções por vezes redundantes, ou introduzidas muito precocemente ou tarde demais, ou incompletas ou quem sabe excessivas.

 

Propõe-se ainda dois temas específicos ao lado do tema central:


– Promoção da legalidade para fazer face aos conflitos de interesse e à corrupção nos sistemas de saúde


– Impactos da crise econômica sobre os sistemas universais de saúde dos países latinos

 


MAIS INFORMAÇÕES AQUI

 

Comments

comments

Deixe uma resposta