Participantes do Abrascão 2015: Previnam-se contra a Febre Amarela


No Brasil, desde 1942, não há registro de transmissão da febre amarela em ambientes urbanos. A eliminação deste ciclo urbano foi possível pela existência de uma vacina eficaz e pelas campanhas nacionais para imunização.

Como a transmissão silvestre da febre amarela não é erradicável, porque envolve primatas não humanos (macacos), a vacina continua sendo recomendada para moradores e visitantes de áreas onde foram notificados casos suspeitos da doença.

O Abrascão 2015 será realizado no Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG) e, nele, há um bosque onde vivem macacos. Assim, mesmo não existindo o ciclo urbano, pode ocorrer o ciclo silvestre da Febre Amarela. Por esse motivo, a organização do Congresso recomenda que todos os participantes sejam vacinados. Essa orientação é reforçada para quem pretende fazer turismo em outras regiões do estado de Goiás.

A vacina é oferecida gratuitamente em postos de saúde municipais ou estaduais. Para garantir imunidade, precisa ser tomada no mínimo dez (10) dias antes da viagem. O certificado de vacinação emitido pelo posto de saúde deve ser guardado. A dose confere proteção por dez anos, após dez dias de sua primeira administração. Logo, quem tomou a vacina por conta de viagens anteriores realizadas a partir de julho de 2005 está coberto. Para outras dúvidas e questionamentos, confira as informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Acompanhe todas as notícias do 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva na página do Abrascão do Portal Abrasco, e na página oficial do evento. 

 

(publicada inicialmente em 22 de junho)

Comments

comments

Deixe uma resposta