NutriNet Brasil acompanhará alimentação e saúde por 10 anos

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP) lançou o Estudo NutriNet Brasil, uma pesquisa online que acompanhará 200 mil pessoas durante dez anos para entender a relação entre o que elas comem e seu estado de saúde. A proposta é conhecer os diferentes padrões alimentares da população brasileira, que variam de uma região para outra, e  associá-los (ou não) com o risco de doenças crônicas –  obesidade, diabetes, hipertensão, câncer e doenças do coração. O estudo é coordenado pelo abrasquiano Carlos Monteiro, um dos cientistas  mais citados do mundo,  e inclui pesquisadores de várias outras instituições acadêmicas do país.

Leia, abaixo, um texto preparado pela equipe do NutriNet e saiba como participar e ajudar a ciência e a promoção da saúde no Brasil:

O Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP) gostaria de contar com você para a divulgação do NutriNet Brasil, uma pesquisa de grande relevância para a promoção da saúde da população brasileira. A seguir, explicamos em que consiste a pesquisa, sua importância, quem poderá participar e como se dará o acompanhamento dos participantes.

O que é o NutriNet Brasil?

O estudo acompanhará por dez anos características da alimentação e do estado de saúde de 200 mil pessoas residentes nas diferentes regiões do Brasil. O propósito é identificar os principais padrões de alimentação praticados no país e analisar a relação desses padrões com o risco de doenças crônicas, como obesidade, diabetes, hipertensão, colesterol elevado, doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer.

Qual é a importância do NutriNet Brasil?

A alimentação exerce enorme influência sobre a saúde das pessoas, em particular sobre o risco de doenças crônicas. Entretanto, mais do que o consumo de um ou outro alimento de forma isolada, é o padrão de alimentação das pessoas, considerando quantidades e proporções dos diferentes grupos de alimentos, que vai definir o risco de doenças. Estudos semelhantes, realizados em países europeus por exemplo, identificaram que a “dieta mediterrânea” protege contra várias doenças crônicas, enquanto nos Estados Unidos a chamada “dieta ocidental” ou “dieta fast-food” aumenta esse risco. E no Brasil? É justamente isso o que queremos saber!

Qual é nosso maior desafio?

Convencer 200 mil pessoas de que a realização dessa pesquisa é suficientemente importante para justificar que, a cada três meses, elas dediquem alguns minutos do seu tempo para o estudo. Para isso é que precisamos de sua ajuda, divulgando a pesquisa na sua lista de seguidores e estimulando-os para que participem do estudo e convençam parentes, amigos e colegas a fazer o mesmo.

Como participar?

Para participar do estudo, basta ter pelo menos 18 anos de idade, residir no Brasil, ter acesso à internet (via celular ou computador) e fazer um rápido cadastro na plataforma digital da pesquisa em <https://nutrinetbrasil.fsp.usp.br>. Nessa mesma plataforma, o participante responde o questionário inicial do estudo (cerca de 5 minutos). Notificações por e-mail ou SMS avisarão quando novos questionários estiverem disponíveis para preenchimento. Todos os dados fornecidos ficarão armazenados sob absoluto sigilo no sistema InterNuvem USP.

Quem são os pesquisadores do NutriNet Brasil e quem financia o estudo?

A equipe do estudo inclui pesquisadores de várias unidades da USP (Saúde Pública, Medicina, InCor), de outras universidades (UFBA, UFMG, UFPel, UFRGS, UNIFESP) e de outros centros acadêmicos do país (Fiocruz Rio de Janeiro e Bahia; Instituto Nacional do Câncer – Inca). O financiamento é do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio de edital do Ministério da Saúde (Decit/CGAN).

 

Para mais informações, acesse o site oficial do NutriNet Brasil. 

Comments

comments

Deixe uma resposta