“Cortes significam conhecimento deixando de ser produzido”

 

O professor Luis Eugenio de Souza, conselheiro da Abrasco e coordenador de pós-graduação do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, concedeu entrevista à TV Bahia, neste mês, comentando o impacto do corte de bolsas de pesquisa em universidades localizadas no estado da Bahia – e em todo Brasil – pelo governo federal: “A gente perde os [estudantes] que têm mais possibilidade de se dedicar em tempo integral pra isso e os [estudantes] que têm mais necessidade dessa bolsa para sua sobrevivência. São pesquisadores que estão deixando de serem formados e conhecimento que está deixando de ser produzido”, afirmou. Assista aqui. 

Ainda sobre os cortes: o Fórum de Coordenadores de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco, vem a público manifestar sua indignação com o recuo parcial do Ministério da Educação, que anunciou a retomada de 3.182 bolsas para alunos de mestrado, doutorado e pós-doutorado, privilegiando os cursos com melhor avaliação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Leia a nota na íntegra. 

Comments

comments

Deixe uma resposta