Uso da gordura trans na indústria alimentícia será tema de audiência pública da Anvisa


Fruto de processos industriais que transformam a gordura vegetal líquida num produto sólido para realçamento de sabor e conservação de alimentos ultra processados com comprovada ação prejudicial ao sistema cardiovascular e fator de risco para doenças crônicas, a gordura trans pode ser banida definitivamente do solo brasileiro, como aconteceu em diversos países, incluindo os Estados Unidos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) convoca para 28 de março uma audiência pública com o objetivo de debater o uso do produto pelas indústrias de alimentos e auxiliar na análise e tomada de decisão quanto a melhor forma de atuação regulatória. Para subsídio, a agência adianta que disponibilizará informações e documentos relacionados ao assunto da audiência em seu site na internet.

Em que pese todos os alertas dos órgãos de saúde, de associações científicas e de consumidores, a indústria segue utilizando o produto em larga escala, mesmo que de forma disfarçada. Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – Idec – em 2014 mostrou que, mesmo que muitas embalagens de biscoitos afirmassem que não possuem gordura trans na sua composição, na verdade, o componente estava presente e relacionado como gordura hidrogenada. Além disso, segundo a atual legislação regulatória, indicadores de até 0,2 gramas do produto não precisam ser tabelados, o que é um erro para a instituição. “No caso de biscoitos, a porção indicada pelo fabricante, em geral, é de 30 g, o que corresponde a de três a cinco biscoitos. É comum que as pessoas comam mais do que isso, seja de uma vez só ou ao longo do dia”, comenta Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Idec responsável pela pesquisa. “Dessa forma, pode-se ingerir uma dose significativa de gordura trans sem nem saber”, complementa.

Pesquisa de opinião: Para mostrar para o governo e a sociedade a importância desse debate ser feito às claras, o Idec lançou na última semana um formulário de pesquisa online para aferir a compreensão das pessoas sobre a gordura trans, já que não existem estudos desse tipo no Brasil. A pesquisa ficará disponível até 22 de março. A ideia é apresentar uma amostragem significativa do que as pessoas realmente sabem sobre o assunto. Então não vale colar antes!  Clique e participe.

Audiência pública sobre gordura trans
Data: 28 de março de 2016
Horário: 08:30 às 18h
Local: Auditório principal da Anvisa
Endereço: Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Trecho 5, Área Especial 57, bloco E, Brasília (DF)
Os interessados em comparecer à Audiência Pública devem solicitar sua inscrição, informando o
nome, a instituição que representam e o telefone de contato, por meio do e-mail: geare@anvisa.gov.br

Comments

comments

Deixe uma resposta