Saúde no Rio: Agência Lupa avalia promessas da gestão municipal

Atos pela saúde, no Rio de Janeiro | Foto: Reprodução da Internet

A Agência Lupa, de checagem de fatos, fez análises sobre a gestão municipal do Rio de Janeiro – do prefeito Marcelo Crivella – comparando seu programa eleitoral, registrado no Tribunal Superior Eleitoral em 2016  – com o que foi feito até agora, na metade do mandato. Algumas propostas analisadas são sobre a saúde no município. Leia trechos:

“Aumentar em 20% o número de leitos nos hospitais municipais até o final de 2018”
Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, em seu programa de governo registrado no TSE durante as eleições de 2016

FALSO
Os dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que o número de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) caiu cerca de 1% nos dois anos do governo Crivella. Em 2016, havia 9.790 leitos SUS no município do Rio. O número chegou a 9.925 leitos em 2017, mas caiu em 2018. No ano passado, a cidade tinha 9.723 leitos disponíveis pelo SUS. A redução foi de 162 leitos psiquiátricos e 40 leitos de outras especialidades.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a redução de leitos psiquiátricos é considerada um “fator positivo e em total consonância com os critérios da Reforma Psiquiátrica brasileira” e a atual política pública de saúde estabelece como norma a reinserção na sociedade e a desospitalização. Em dezembro de 2017, o Ministério da Saúde decretou que não deveria haver ampliação no número de leitos psiquiátricos no país, mas sim uma readequação, com maior oferta aos pacientes com quadros mentais agudos.

Desconsiderada a redução dos leitos psiquiátricos, o número total teve um aumento de 1% – longe dos 20% prometidos pelo prefeito.

Procurado, Crivella não retornou.

“Assumir até o final de 2018, a gestão das 16 UPAs estaduais localizadas no município do Rio de Janeiro”
Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, em seu programa de governo registrado no TSE durante as eleições de 2016

FALSO
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, não houve municipalização de nenhuma das 16 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estaduais da cidade até o momento. A prefeitura é responsável por 14 outras unidades municipais, de acordo com a pasta.

Procurado, Crivella não retornou.

“Criar uma Maternidade ao lado do Hospital Pediátrico Nossa Senhora do Loreto, na Ilha do Governador, até o final de 2018”
Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, em seu programa de governo registrado no TSE durante as eleições de 2016

FALSO
O Hospital Pediátrico Nossa Senhora do Loreto informou, por telefone, que não há nenhuma maternidade instalada ao lado do estabelecimento. Também foi informado que, atualmente, a Ilha do Governador não tem nenhuma unidade deste tipo para o atendimento das gestantes que moram na região.

Procurado, Crivella não retornou.

Leia matéria completa aqui. 

Comments

comments

Deixe uma resposta