Movimento da luta antimanicomial realiza atos no Rio e em SP


A luta por uma sociedade que respeite sua população em toda a sua diversidade e possibilidades tem data: 18 de maio, dia nacional da luta antimanicomial. As frentes estaduais do Rio de Janeiro e de São Paulo vão celebrar com atos em defesa do SUS público, integral, equânime e humanizado, a garantia dos Direitos Humanos para toda a população e por melhores condições aos trabalhadores e usuários da Saúde Mental.

No Rio de Janeiro, a atividade será antecipada para a sexta-feira, 16, com o tema Violência de Estado é que é doença: Carranos, Claudias, Amarildos, poetas e loucos, somos todos um pouco. “Queremos discutir a violência de Estado, os encarceramentos e as privações de liberdade através do manicômio e de outras instituições”, diz Nilo Sergio Fernandes de Oliveira, um dos coordenadores da frente fluminense. O ato está marcado para às 14 horas, nos Arcos da Lapa e contará com a apresentação de poetas, bandas, artistas, exposição de trabalhos e obras de arte, além da realização de diversas oficinas.

A entrada do Teatro Municipal de São Paulo foi o local escolhido para o evento na capital paulistana, a ser realizado no domingo, 18, às 13 horas. O ato, que tem como eixo Saúde não se vende, Loucura não se prende, quer marcar a importância de uma política atenção psicossocial que não criminalize as diferenças e não faça balcão de negócios do investimento público. “Diferentes governos têm feito escolhas por investir em ações e serviços dos princípios da Reforma Sanitária e Psiquiátrica Antimanicomial, realizando ações como o Programa Recomeço, operações com dor e sofrimento, internações compulsórias, financiamento público das comunidades terapêuticas e manutenção e ampliação do número de leitos em hospitais psiquiátricos e instituições asilares”, consta na carta aberta à população redigida pela Frente Estadual Antimanicomial. Confira o documento na íntegra aqui.

A data de 18 de maio é uma homenagem ao Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em 1987, na cidade de Bauru, no estado de São Paulo, que reuniu mais de 350 trabalhadores na área de Saúde Mental, reforçando e renovando a luta da Reforma Psiquiátrica Brasileira, iniciada no final da década de 1970.

Ato pelo Dia da Luta Antimanicomial no Rio de Janeiro
Dia 16 de maio, sexta-feira, às 14h
Local: Arcos da Lapa, Centro – Rio de Janeiro

Ato pelo Dia da Luta Antimanicomial em São Paulo
Dia 18 de maio, domingo, às 13h
Local: Teatro Municipal de São Paulo – Pça Ramos de Azevedo, S/N, Centro – São Paulo

Comments

comments

Deixe uma resposta