Encontro de Ecologia dos Saberes reúne pesquisadores, lideranças do campo e mobiliza a imprensa


Promovido em parceria pela Abrasco, Alames, Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida e Universidade Popular dos Movimentos Sociais, o evento destaca a importância de outros modelos de pensamento e de ação em saúde, agricultura e desenvolvimento para uma sociedade realmente saudável e sustentável. Na quinta (24), o evento segue rumo à Chapada do Apodi, onde os pesquisadores vão vistoriar a situação das 800  famílias que serão atingidas pelo projeto Perímetro Irrigado da Chapada do Apodi, que irá desapropriar mais de 13 mil hectares de terras para que cinco empresas produzam frutas para exportação.

A abertura foi realizada na Concha Acústica da Universidade Federal do Ceará (UFC) com a palestra do sociólogo Boaventura de Sousa Santos. O português trouxe ao público em sua aula de inquietação a importância de valorizar o conhecimento adquirido a partir das experiências das lutas dos trabalhadores do campo e da cidade e a necessidade da tradução intercultural entre os saberes para sua circulação. “As universidades só ensinam o conhecimento dos vencedores, e não dos vencidos. (…) O conhecimento universitário, científico, é importante, mas não basta”.

Boaventura destacou ainda que é responsabilidade de todos a busca de alternativas ao modelo neoliberal de desenvolvimento e a valorização de propostas como a economia familiar, a reforma agrária, a economia social e solidária, a soberania alimentar e a reserva de territórios para os povos tradicionais. “Os termos são esses, que podem ser alternativos ao desenvolvimento”, dissea um público atento, como traz a reportagem do jornal O Povo.

Cobertura da imprensa: O Encontro Internacional Ecologia de Saberes tem também cobertura do jornal Diário do Nordeste, que destacou a participação da Abrasco. Um dos objetivos do evento é reunir subsídios para a redação de um novo documento sobre os impactos dos agrotóxicos na América Latina, uma continuidade do Dossiê Abrasco sobre o tema. “Vamos para o campo visitar as comunidade da Chapada do Apodi e, dessa experiência, começarmos a construir o dossiê. A experiência do Ceará vai nos ajudar a amadurecer essa ação internacional”, disse Luis Eugenio de Souza, presidente da entidade, ao veículo. O Ceará é um dos estados com maior índice de uso dos venenos, o que motivou a organização do Encontro a realizar o evento no estado. A visita à região do Apodi, que vem sofrendo a ação do agronegócio em conjunto com o projeto do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), será feita em parceria com a Caravana Agroecológica e Cultural da Chapada do Apodi, organizada pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). O Encontro Internacional de Ecologia dos Saberes vai até o dia 25 e conta com transmissão em tempo real. Acompanhe no site do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta.

Comments

comments

Deixe uma resposta