Com pratos vazios e canções, Rio protesta contra o fim do Consea

Este slideshow necessita de JavaScript.

A mesa de um quilometro com pratos vazios marcou a manhã do domingo, 27 de janeiro, no Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. O ato, convocado pela Frente Ampla contra a Fome e o Direito à Alimentação, reuniu ativistas de diversas partes da cidade e região metropolitana pela garantia do direito humano à alimentação adequada e saudável enquanto política pública, exigindo para isso o retorno do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – Consea.

A manifestação começou por volta das 10 horas. Estudantes, nutricionistas, ativistas de diversas causas que chegavam carregavam faixas ou fizeram suas artes nas sombras do Aterro. Nos cartazes, os motivos para a manifestação: a possibilidade de o país voltar ao Mapa da Fome, índice organizado pela FAO e que analisa as condições de insegurança alimentar e nutricional em todo o mundo; a importância do Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN); o papel do Estado em promover a alimentação adequada e saudável como política pública.

+ Participe do Abaixo-Assinado internacional pelo retorno do Consea

Ao meio-dia, diversas falas pontuaram os aspectos centrais. “A garantia de uma alimentação adequada e saudável é um direito de todos e também uma obrigação do Estado. Conclamamos a todos aqueles que reconhecem a importância de vivermos em um país sem fome e que produz alimentos saudáveis, uma comida de verdade, a participar do movimento em defesa da manutenção do Consea” afirmou Maria Emilia Pacheco, ex-presidente do Consea e integrante da ONG Fase (Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educacional).

Já Daniel Carvalho de Souza, presidente do conselho da Ação da Cidadania e filho de Herbert de Souza, o Betinho, ressaltou o significado dos pratos vazios. “Em vez de uma mesa cheia de comida e esperança, temos uma mesa de pratos vazios, protestos e preocupações com o futuro do combate à fome”.

Depois das falas, os participantes fizeram uma grande roda em torno da larga mesa de pratos vazios e, com o coro da palavra de ordem “comida de verdade, no campo e na cidade”, cantaram a música “O bêbado e a equilibrista”.

A mobilização marcou o lançamento da Frente Ampla contra a Fome e o Direito à Alimentação, que fará novos atos e mobiliza para os Banquetaços, quando mais de 30 cidades farão atividades de produção e distribuição de comida adequada e saudável em 27 de fevereiro, na abertura do ano legislativo, para convencer os parlamentares da importância do Consea e do SISAN e revogar parte da MP 870 que decretou o fim do conselho.

“Será uma grande mobilização, com a participação de diversas organizações e segmentos, como é característico das ações de combate à fome. Os conselheiros e conselheiras estaduais estão integrados às comissões de mobilização e comunicação” destaca Jean Pierre Tertuliano Câmara, presidente do Consea Rio Grande do Norte e coordenador da comissão dos Conseas estaduais.

+A Extinção do Consea Nacional e seu impacto nos conselhos estaduais e municipais, artigo de Jean Pierre T. Câmara e Élido Bonomo

Comments

comments

Deixe uma resposta