Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável aposta em estratégias audiovisuais para divulgar ações

Num tempo no qual a comunicação por imagens imprime o ritmo do tráfego das informações na internet, a produção de filmes, reportagens audiovisuais e infográficos para a web tornou-se estratégia vital para informar a sociedade de seus direitos e mobilizá-la na luta pela garantia das atuais e novas conquistas. Antenada ao seu tempo, a Aliança pela Alimentação Saudável e Adequada, rede que reúne organizações da sociedade civil de interesse público, profissionais, associações e movimentos sociais com objetivo de desenvolver e fortalecer ações coletivas que contribuam com a realização do Direito Humano à Alimentação Adequada, têm investido em ações, produções e parcerias mediadas e/ou apoiadas no audiovisual.

Uma delas é o vídeo “O que é Alimentação Saudável?“. Trata-se de uma animação de três minutos com texto e áudio da Elisabetta Recine, pesquisadora e docente do departamento de Nutrição da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB); presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), integrante do comitê gestor da Aliança e do Grupo Temático Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva (GTANSC/Abrasco). O vídeo é produto de uma oficina e mostra de uma forma lúdica as transformações em curso no sistema alimentar e a necessidade de se repensar a produção, distribuição e consumo de alimentos como um todo, de modo a proporcionar uma alimentação adequada e saudável à população.

+ Confira a programação sobre Alimentação e Nutrição no X Congresso Brasileiro de Epidemiologia

Outro produto audiovisual disponibilizado pela Aliança é o documentário “Indústria da Obesidade”. Produzido pelo canal alemão ZDF, filmado no Brasil e no Quênia, o filme mostra as ações de marketing realizadas pelas grandes indústrias de alimentos ultraprocessados para atrair a população de baixa renda ao consumo de biscoitos, refrigerantes, temperos prontos – produtos com alta quantidade de açúcar e sal e que acabam por substituir a comida tradicional e rica em nutrientes. O documentário apresenta depoimentos como do professor Carlos Monteiro, coordenador científico do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP) e membro da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Monteiro também colaborou com uma matéria do jornal New York Times intitulada “Como a grande indústria viciou o Brasil em junk food“.

As próximas atividades da Aliança também envolverão o registro e a produção de imagens. Uma delas será a participação da rede no “Congresso INCA 80 anos: Desafios e Perspectivas para o Controle do Câncer no Século XXI”, que acontecerá nesta sexta-feira e sábado (29 e 30 de setembro), no Rio de Janeiro. Será remontada e registrada a ações como a “Tenda da Felicidade”, produzida anteriormente pelo projeto Ideias na Mesa, também parceiro da Aliança, e a “Tenda da Rotulagem”, inspirada numa ação da ONG mexicana El Poder del Consumidor, que mostra a percepção dos diferentes modelos de alertas nutricionais nos alimentos processados e ultraprocessados.

+ Posicionamento sobre a proposta de rotulagem nutricional
+ Movimentos da sociedade civil reivindicam rotulagem adequada já
+ Rotulagem de transgênicos na mira do governo Temer

Daniela Guedes, coordenadora de campanhas e mobilização da ACT Promoção da Saúde, uma das ONGs que integram a Aliança, destaca a importância da estratégia do audiovisual. “Nossa ideia é subsidiar estudantes, pesquisadores e interessados no tema para que possam realizar atividades como cine-debates e discutir as práticas das indústrias e como a sociedade civil pode se mobilizar por políticas públicas para uma alimentação adequada e saudável”. Assista aos vídeos, compartilhe com suas redes e venha se somar à mobilização pelo direito humano à alimentação.

Comments

comments

Deixe uma resposta