Alames celebra 30 anos e elege Ana Costa como nova coordenadora


Foi encerrado na tarde de ontem, 27 de novembro, o XIII Congresso Latino-americano de Medicina Social e Saúde Coletiva, organizado pela Alames. Ao longo de seis dias, importantes temários relacionados à Saúde, ao desenvolvimento e à autodeterminação dos povos foram debatidos por mais de mil especialistas de todos os países do continente, entre eles ministros da Saúde, ex-titulares das pastas, gestores, pesquisadores e estudantes.

A sessão solene de abertura, realizada no dia 23, contou com a presença do presidente salvadorenho, Salvador Sánchez Cerén e com a palestra do Dr. Eduardo Espinoza Fiallo, do Ministério da Saúde de El Salvador, que apresentou o texto “En el camino hacia un nuevo modelo de Desarrollo, Estado y Sociedad“,elaborado com as contribuições de María Hamlin Zúniga, Giovanni Guevara y Rolando Masís.

Nova diretoria: Resultado da confluência do pensamento crítico e das lutas dos povos latino-americanos em defesa do direito à saúde e à vida, a Alames comemora este ano 30 anos de serviço à classe trabalhadora. Vários núcleos em universidades, organizações sociais, de trabalhadores nos sistemas de saúde de América Latina integram a Associação.

A sessão final do Congresso elegeu a nova diretoria da associação. Ana Costa, presidente do Centro Brasileiros de Estudos da Saúde – Cebes, foi eleita nova coordenadora-geral para o biênio 2015 – 2016.

Graduada em Medicina pela Universidade de Brasília em com doutorado em Ciências da Saúde pela mesma universidade, Ana Costa é docente da Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal e já ocupou diversos cargos na gestão federal do Sistema Único de Saúde. Ela integra também o Grupo Temático Gênero e Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (GTSG/Abraco ). Integram sua diretoria os pesquisadores Ana Lúcia Casallas, da Colômbia, Ricardo Santamaria, de El Salvador, e Rafael Gonzales, do México.

Em mensagem a pesquisadores e militantes, Ana Costa afirmou que sua indicação é um reconhecimento do movimento sanitário brasileiro. “Depois de muita angúustia, resolvi aceitar essa iniciativa pela importância que empresto à nossa maior conexão latino-americana”. A Abrasco parabeniza Ana Costa e à Alames e saúda este novo ciclo de mobilização que se inicia.

Comments

comments

Deixe uma resposta