Solidariedade à Professora Amelia Cohn


A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) repudiam a forma desrespeitosa com que a Universidade Católica de Santos tratou a professora Amelia Cohn em um ato de demissão sumária e sem explicações plausíveis, como divulgado pelo professor Gabriel Cohn em carta aberta à comunidade científica e de saúde.

A professora doutora Amelia Cohn é amplamente reconhecida pela comunidade da Saúde Coletiva como uma intelectual de alto nível acadêmico que enriquece o quadro de professores de qualquer universidade e oferece aos estudantes e aos colegas o que há de melhor no pensamento dos dilemas da sociedade brasileira contemporânea. Reconhece ainda sua enorme contribuiçao às entidades signatárias na luta pelo direito universal à saúde no Brasil.

Além da solidariedade à professora Amélia Cohn, essa declaração pública expressa nossa preocupação com a ocorrência de condutas aéticas contra docentes por parte de instituições de ensino superior, que podem comprometer tanto a liberdade de pensamento e expressão, quanto a qualidade do ensino e da pesquisa.

Luis Eugenio de Souza – presidente da Abrasco
Ana Costa – presidente do Cebes

Comments

comments

Deixe uma resposta