Os braços e os corações que movimentam a Abrasco


Se os pesquisadores que ocuparam e ocupam a presidência da Associação são os responsáveis pelo tom político e científico das ações da Abrasco, são os secretários executivos, adjuntos e funcionários que dão as condições para a entidade seguir suas linhas diretivas.  Com essa compreensão, a sessão solene de aniversário de 35 anos da Associação, realizada em 23 de setembro, encerrou com uma justa homenagem a tantos profissionais que passaram pela Secretaria Executiva.

A mesa de encerramento foi composta por Luis Eugenio de Sousa, presidente da Associação, Carlos Silva, Secretário Executivo, Jarbas Barbosa, Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), Ana Paula Menezes, Secretária Executiva do Ministério, e Joaquim Molina, representante da OPAS no Brasil.

+ 35 anos: Presidentes da Abrasco apontam perspectivas para os próximos anos da Associação
+ 35 anos: Os braços e os corações que movimentam a Abrasco

Em sua saudação, Barbosa parabenizou a todos os presentes pela comemoração. “É praticamente impossível separar a história da saúde recente do Brasil, principalmente a do SUS, da história desta Associação. Pela sintonia com a política de sistema universal com todas suas características e pela forte ligação com os movimentos sociais, a Abrasco simboliza não só os profissionais de saúde como uma política social única em nosso país. Temos muito a comemorar e os desafios para os próximos anos são tremendos.”

Ana Paula também fez uso da palavra. “Em nome do ministro Arthur Chioro, quero saudar a todos e parabenizar a Abrasco. O SUS tem sempre de estar se reinventando e a Abrasco tem se colocado na vanguarda para apontar caminhos e levantar questões. Nesse momento importante da consolidação do nosso sistema, é bom ter uma Abrasco madura, balzaquiana, que possa trazer estabilidade e legitimidade à política de saúde do Brasil.”

Barbosa e Ana Paula, em nome do Ministério da Saúde e de todos seus funcionários, receberam das mãos das docentes Ethel Leonor Noia Maciel (UFES) e Rosana Onocko (Unicamp) a placa comemorativa do aniversário da Associação.

Resgate histórico: Outras homenagens da sessão foram feitas à OPAS, que sediou a fundação da entidade, e ao funcionário que possibilitou que essa história fosse possível, José Paranaguá de Santana.

Mais do que relembrar as histórias do dia da fundação, Paranaguá deixou uma mensagem sobre a importância de a Saúde ser um corpo vigilante em defesa do Estado de Direito. “No final dos anos 1970, vivíamos tensionados por duas grandes crenças: o ideal da saúde como direito e dever do Estado e a nossa intensa indisposição com os regimes autoritários. Naquele momento existia um regime autoritário, existia essa turbinagem na busca do valor da saíude devido a nossa indisposição. Atualmente, temos de nos acostumar a fazer uma discussão sobre o Estado democrático de Direito queremos construir. Qualquer Estado de Direito pode ser de dominação, sob a alegação de estar baseado na lei, que é a expressão do mais forte. Por essas razões, espero que esta Associação continue a existir e siga nesta luta.”

Molina agradeceu a homenagem em nome da Organização. “Estou aqui como depositário de toda uma história de parceria. Em nome da OPAS e da OMS em seu trabalho em Brasil, agradeço a homenagem  e a oportunidade de crescer com vocês.”

Secretários e funcionários: Por motivos de saúde, Paulo Buss, o sanitarista que por maior tempo esteve à frente da Secretaria Executiva da Abrasco, não pôde comparecer ao evento. Sua importância foi destacada, bem como a dos demais secretários executivos que puderam estar presentes, como Álvaro Matida, João Carlos Canossa Pereira Mendes, Péricles Silveira da Costa e Margareth Pessanha. Todos receberam placas comemorativas das mãos de presidentes da Abrasco.

A homenagem final foi feita a Hebe Patolea, gerente financeira da Associação e funcionária desde 1984. Para a surpresa dela e de todos, quem entregou a placa de comemoração foi sua filha, Paula.

Numa sequência de agradecimentos, Álvaro Matida sintetizou o sentimento de todos os secretários e funcionários que passaram pela Abrasco. “Nessa tarde, muito se falou na capacidade de transitar por espaços que usualmente não faz sozinho, mas sim em conjunto. O conhecimento também é algo que se constrói em conjunto. Aprendi bastante com toda essa comunidade da Saúde Coletiva, representada pela Abrasco. A vocês, meu [e nosso] muito obrigado.”

Confira aqui a história das gestões da Secretaria Executiva da Abrasco e a nominata de todos os funcionários que passaram pela Associação

Comments

comments

Um comentário sobre “Os braços e os corações que movimentam a Abrasco

Deixe uma resposta