Em São Paulo, nova Comissão de Epidemiologia define planejamento


Empossada em setembro, a nova Comissão de Epidemiologia da Abrasco reuniu-se pela primeira vez na capital paulista, nesta quinta-feira, 6 de novembro de 2014. O vice-presidente da Abrasco Nelson Gouveia, cumprimentou os participantes e lembrou que esta composição é fruto dos direcionamentos do Estatuto da Abrasco, que têm atualizado os membros das Comissões abrasquianas mediante indicação de dois nomes de cada instituição associada adimplente, que se dediquem, de forma notória, ao estudo ou à intervenção na área de Epidemiologia. “Como primeira reunião, penso que é o momento de se pensar numa linha de atuação dos próximos 3 anos de mandato deste grupo, que começa agora” enfatizou Nelson.

O secretário executivo adjunto da Abrasco Thiago Barreto considera este processo de renovação um importante passo para a Associação e consequentemente, para os epidemiologistas membros da Associação “Cada comissão encontra agora o seu modo de trabalho, e temos estimulado que estas comissões inovem na sua maneira de trabalhar, já que o número de membros aumentou em consequência do número de instituições que estão representadas” comentou Thiago.

Durante a manhã, reunidos na Faculdade de Saúde Pública da USP, os 32 participantes da reunião elegeram o grupo que coordenará a nova Comissão de Epidemiologia. A professora Maria Amélia Veras, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi eleita a coordenadora da Comissão para o triênio 2014-2017. Como vice-coordenador , está Antonio Augusto Moura (PPGSC/UFMA). Os membros desta coordenação são: Rosely Sichieri (IMS/UERJ), Rosana Aquino (ISC/UFBA), Bernardo Horta (PPGE/UFPel), Wolney Conde (FSP/USP), Eleonora D’Orsi (UFSC), Sandhi Barreto (DMPS/FM/UFMG). Este grupo elencou então, quatro linhas de trabalho a serem desenvolvidos pela Comissão, através de grupos específicos que promoverão a reflexão sobre os seguintes temas:

– Ensino de Epidemiologia em cursos de graduação e pós-graduação
– História da Epidemiologia no Brasil
– Pesquisa Epidemiológica no Brasil
– Contribuição da Epidemiologia para o Planejamento de Programas e Serviços de Saúde

Na segunda parte do dia, Maria Amélia e Antônio Augusto debateram com o grupo a renovação do Plano Diretor e a elaboração de um diagnóstico da área. A ideia inicial é que o plano tenha como foco a qualificação da área, em vez do crescimento. Ele também deve abarcar o Ensino de Epidemiologia na graduação, na pós-graduação e em outros cursos de Saúde. Outro momento de reflexão abordou a diminuição da atuação política da área de Epidemiologia na agenda do SUS, o grupo considera que é preciso recuperar esse protagonismo na agenda do país.

Sobre a atuação desta nova Comissão, Maria Amélia lembrou que fez algumas críticas quando se estava decidindo que as Comissões da Abrasco teriam muitos membros, como a de Epidemiologia, com mais de 30 pessoas, “Porém penso que podemos trabalhar de maneira a ter entre nós grupos temáticos com autonomia e compromisso, para que não repitamos o erro de termos a Comissão toda envolvida apenas no congresso. Devemos examinar e discutir e identificar pessoas que se agreguem em torno de temas que vamos definir como prioritários. Não queria que começássemos mobilizados e que depois as ideias fossem esfriando e que no final só nos sobrasse a realização do congresso de epidemiologia. Gosto de ver neste grupo novo, a dinâmica e a interação entre os epidemiologistas seniores e os mais novos: esta dinâmica é fundamental”, pontuou Maria Veras.

A primeira reunião da Comissão de Epidemiologia também definiu a cidade que sediará, em 2017, a 10ª edição do Congresso Brasileiro de Epidemiologia: Florianópolis. Ainda entrou na pauta o acompanhamento e planejamento das atividades de epidemiologia do próximo Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva – Abrascão, já em julho de 2015 e o planejamento da participação dos epidemiologistas brasileiros no Congresso de Epidemiologia das Américas, que será Miami, em junho de 2016.

Comments

comments

Deixe uma resposta