Maurício Barreto recebe Comenda Dois de julho

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Como sanitarista e epidemiologista, cidadão de Itapicuru da Bahia e agora de posse desta Comenda, que com muita honra recebo, aproveito a oportunidade que me é dada neste momento para, com a devida humildade e respeito, conclamar esta casa do povo da Bahia a continuar no firme propósito de seguir na construção uma sociedade efetivamente liberta, econômica e socialmente inclusiva, pois estes são os ideais partilhados por todos aqueles que, como eu, buscam a construção de uma sociedade justa e pacifica e, portanto, saudável”.

Com essas palavras, Maurício Lima Barreto encerrou seu discurso de agradecimento pelo recebimento da Comenda Dois de julho. A cerimônia foi realizada no último 11 de maio, na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA).

A deferência a Barreto partiu do deputado estadual Aderbal Caldas, que aprovou a homenagem em plenário em dezembro passado. “É um oportuno reconhecimento à sua competência”, destacou o parlamentar na cerimônia. A Comenda Dois de julho foi instituída pela Mesa Diretora da ALBA para homenagear as pessoas que contribuem para o desenvolvimento político e administrativo da Bahia e do Brasil, exercendo papel de destaque no cenário político ou social. A honraria representa a data da independência do Brasil na Bahia, em alusão à expulsão das últimas tropas portuguesas do território brasileiro pelos soldados baianos, e simboliza o sentimento motivador de libertação e emancipação do povo baiano.

Mauricio Lima Barreto nasceu em 29 de maio de 1954 em Itapicuru, pequena cidade do norte do estado da Bahia. Médico de formação, titulou-se mestre em Saúde Comunitária pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA) e doutor em Epidemiologia pela Escola de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Londres. Lecionou no ISC/UFBA por 33 anos e atualmente é pesquisador sênior do Instituto Gonçalo Moniz (IGM/Fiocruz), onde fundou o Centro de Integração de Dados e Conhecimento para Saúde (Cidacs), além de compor o quadro docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do ISC/UFBA.

Por longo tempo tem liderado um grupo de pesquisa voltado para aspectos epidemiológicos das doenças infecciosas, desnutrição e asma, avaliação do impacto populacional de intervenções, e aspectos teóricos e metodológicos da Epidemiologia. Barreto tem uma vasta bibliografia científica: são mais de 400 trabalhos publicados em revistas científicas, além de cerca de 40 monografias e capítulos de livros. É um grande formador também: orientou 18 dissertações de mestrado e 25 teses de doutorado.

A atual comenda soma-se a outros títulos alcançados numa das mais singulares trajetórias científicas da Saúde Coletiva Brasileira. Foi vice-presidente da Abrasco na gestão 2006-2009, eleito para a Academia Brasileira de Ciências, em 2003, e para a Academia Mundial de Ciências, em 2013, além de ser um dos fundadores da Academia de Ciências da Bahia , em 2010.

Comments

comments

Deixe uma resposta