Conferência de abertura destacou o bem comum e a ética como valores da saúde no 2º Congresso Brasileiro de Política


Para a Abrasco, é possível sim que a sociedade civil construa um projeto possível baseado nesses princípios e que aponte para a compreensão de saúde como bem comum, pautada na ética dos indivíduos e das instituições. Em prol deste interesse, ao mesmo objetivo presente e inspiração futura, a entidade teve a honra de contar com a contribuição da professora Ana Luiza D’Ávila Viana para a conferência de abertura do 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, no dia 1 de outubro, no Minascentro, em Belo Horizonte.

 

“Vivemos um momento muito importante para a consolidação de um novo projeto de saúde, um período em que a atual movimentação social cobra a criação de uma sociedade que não atenda tão somente os interesses do capital, mas também olhe e atue no sentido de melhorar o bem estar das pessoas, na forma de serviços básicos, públicos e universais”.

 

Em sua comunicação, a professora doutora do departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) vai abordar os três momentos que marcaram a formação e difusão dos sistemas de proteção social: seu advento numa Europa arrasada no pós-guerra, o modelo asiático consolidado na primeira década do século XX; e um terceiro, a partir do recente ciclo de desenvolvimento na América Latina.

 

Segundo Ana Luiza, o modelo latino-americano, ainda em construção e aberto, vem sofrido com a mercadorização e financeirização impostas nos últimos 30 anos pela política neoliberal. No receituário, a incorporação tecnológica de base industrial e a valorização de um grupo de profissionais especializados apenas reforçam a discrepância dos serviços de uma saúde mercantilizada, desigual e desregulamentada. “Vai depender fortemente dos movimentos sociais, das lutas de rua e da participação cidadã que aqui se estabeleça um novo tipo de proteção social voltada para o futuro mais do que o passado, que seja um ponto de apoio para melhor distribuir os frutos do desenvolvimento”, completa.

 

Acesse aqui a apresentação na íntegra

Comments

comments

Deixe uma resposta