Abrasco reforça debate sobre direito à saúde nas conferências

Este slideshow necessita de JavaScript.

A menos de 2 meses para o maior encontro social e político da saúde pública no país – a 16ª Conferência Nacional de Saúde, carinhosamente chamada de 8ª + 8 – a Abrasco e demais entidades estão comprometidas com a ampliação do processo conferencial, colaborando intelectualmente, com a apresentação do documento PELA GARANTIA DO DIREITO UNIVERSAL À SAÚDE NO BRASIL! , e fazendo-se presente nos diversos espaços conferenciais e organizativos do CNS por meio de seus dirigentes e principais quadros acadêmicos, numa construção coletiva com as demais entidades do movimento sanitário brasileiro.

+ Acesse a contribuição da Abrasco à 16ª CNS em PDF

Gulnar Azevedo, presidente da Abrasco, esteve na mesa dos debates travados na Conferência Livre do Rio de Janeiro, realizada em 08 de junho, na sede do Sintsaúderj, e reuniu diversas entidades e sindicatos num certame de muitos debates em torno da defesa do SUS, pela atenção primária na Saúde e pela revogação da Emenda Constitucional 95, medida do Executivo Federal que retirou recursos da Saúde.

Já em Pernambuco, a vice-presidente Bernadete Perez também esteve envolvida com as atividades do CNS, tendo participado do debate sobre Atenção Primária em Saúde na Conferência estadual, em 22 de maio, e nos debates da conferência livre organizada no campus avançado da UFPE em Vitória de Santo Antão, interior do estado, em 3 de junho, que contou com forte participação da comunidade do entorno da universidade.

Quem também participou da etapa estadual da sua região foi o também vice-presidente José Ivo Pedroza, presente na 8ª Conferência Estadual do Piauí, realizada de 6 a 8 de junho e que reuniu mais de 1.100 participantes. “Acompanho o processo de implantação do SUS no Piauí e do Conselho Estadual de Saúde desde 1989 e foi muito emocionante participar dessa edição como conferencista e, pela primeira vez, como delegado do município de Parnaíba” disse José Ivo.

Na conferência magna “Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação e Financiamento do SUS” o vice-presidente evidenciou os avanços e recuos do movimento pela Reforma Sanitária brasileira em cerca de 40 anos de existência, além de refletir sobre o presente para projetar o futuro.

“A Conferencia do Piauí reafirmou o Direito à Saúde e o SUS como o sistema que materializa os princípios de universalidade, equidade e integralidade do cuidado. Também foi lembrado que o SUS não se limita à organização e distribuição de serviços de saúde, e que, como dever de uma política de Estado, precisa articular ações que reforcem os determinantes positivos para a saúde, tais como as condições de vida e trabalho” reforçou o abrasquiano, ressaltando que foram rejeitadas pelo plenário tanto a proposta de Reforma da Previdência como pedida a revogação da Emenda Constitucional 95/2016, que congelou os investimentos em saúde e educação por 20 anos.

Gastão Wagner, presidente da Abrasco entre 2015-2018, tem percorrido diversas conferências municipais e estaduais debatendo os princípios do SUS e mostrando a centralidade de uma Saúde Pública cidadã, humana e comprometida com a sociedade. Ele já havia participado das etapas municipais de Vitória, capital do Espírito Santo, e de Porto Alegre e, no início de junho, fez as conferências de abertura das edições estaduais da Paraíba, em 04 de junho, e do Rio Grande do Norte, no último dia 11.

Em suas falas, Gastão vem frisado que o SUS cresceu muito desde sua criação e hoje 70% da população brasileira só tem esse sistema como plano de saúde. “O SUS é uma boa ideia, um projeto bom e agora a gente não pode viver sem ele mais. 70% da mortalidade vai explodir no Brasil, seja ela infantil, materna, da mulher, idosos. Não dá pra ficar sem o SUS” disse ele diante do público que lotou o auditório José Lins do Rêgo, em João Pessoa.

A construção da Conferência de Saúde se dá também com as oficinas de orçamento e financiamento promovidas pela Comissão de Orçamento e Financiamento do Conselho Nacional de Saúde (Confin/CNS) realizadas regiões e sub-regiões nacionais e voltada para conselheiros municipais e estaduais de saúde. Eli Iola Gurgel esteve à frente da atividade realizada tanto no Rio de Janeiro, em o2 de abril, e mais recentemente na regional nordeste 2, realizada no último dia 06 de junho, em Maceió, capital de Alagoas.

Comments

comments

Deixe uma resposta