Abrasco prestigia 50 anos do Instituto de Saúde

Este slideshow necessita de JavaScript.

Realizado no dia 16 de julho, a celebração do aniversário de 50 anos do Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (IS-SES/SP) reuniu em sua sede importantes nomes do cenário nacional da Saúde Coletiva para refletir sobre tecnologia, inovação social e formação profissional em saúde a serviço do Sistema Único de Saúde (SUS).

Diversos abrasquianos estiveram presentes à atividade, fortalecendo e tecendo laços históricos fundamentais à formação do campo da Saúde Coletiva brasileira.

“O Instituto de Saúde foi um precursor do movimento da Reforma Sanitária Brasileira. Ocorreram várias inovações e movimentos em São Paulo do que seria o nosso SUS, o que partiu dos esforços desse Instituto, que serviu de lugar de pensamento e contribuição” disse Naomar de Almeida Filho, vice-presidente da Abrasco.

Naomar palestrou sobre a nova ordem de iniquidades em saúde decorrentes da atual configuração da competência tecnológica, na qual destacou ser falaciosa a argumentação de que a tecnologia promove uma ampliação de custos automaticamente. “À medida que as tecnologias são massificadas e se avança na quebra e vencimento de patentes, os custos de acesso às competências tecnológicas são reduzidos. O mercado, no entanto, investe no movimento da obsolescência programada, obrigando o consumidor a comprar os últimos modelos lançados”.

Para ele, se não houver uma otimização do uso dos recursos tecnológicos muitas tecnologias válidas continuaram sendo abandonadas não por falta de efetividade, mas pela redução da lucratividade. “Não há motivos para sistemas públicos de saúde se submeterem a essa lógica, devendo sim produzir lógicas de acesso e qualidade para a maioria da população” disse o abrasquiano, que também representou a diretoria da Abrasco na mesa “50 anos do Instituto de Saúde: marcas na Saúde Coletiva”.

Laços afetivos: Dois históricos presidentes da Abrasco também prestigiaram a atividade. Para José da Silva Guedes, presidente da Abrasco entre 1989 e 1991, o IS está na raiz do aprimoramento científico em Saúde. “Sempre tive muito orgulho do Instituto e estou muito contente de estar aqui para comemorar que saúde é um direito de todos e um dever do Estado” disse Guedes, que viveu a instituição enquanto ex-Secretário de Estado da Saúde entre os anos de 1995 e 2001.

Já José da Rocha Carvalheiro, presidente da Abrasco entre 2006 e 2009, segue como pesquisador do Núcleo de Serviços e Sistemas de Saúde do IS, fazendo questão de estar presente no cotidiano da Instituição, que carinhosamente chama de ‘Binômio de Newton’, “tão belo como a Vênus de Milo e com tão pouca gente para dar por isso”, como escreveu Fernando Pessoa por meio do heterônimo Álvaro de Campos: “Nesses anos todos tive a satisfação de ter aqui companheiros de trabalho que só me dão satisfação” disse Carvalheiro durante a sessão.

Representante da Comissão  de Ciências Sociais e Humanas em Saúde pelo IS, coordenador do GT Racismo e Saúde e integrante do Conselho da Abrasco, Luiz Eduado Batista ingressou no Instituto em 1994. “Aprendi em meus primeiros dias que o Instituto de Saúde é um interlocutor que ocupa um espaço estratégico no aprimoramento das políticas públicas de saúde da mulher, da criança, da população negra na prevenção ao HIV/Aids etc, e foi aqui que apoiar a implementação das políticas de promoção da equidade passou a ser minha ‘missão de vida’ ”.

Marília Louvison, Oswaldo Tanaka e José Ruben Bonfim foram outros abrasquianos que estiveram presentes à celebração e seguem atuando pela Saúde Coletiva em inúmeras parcerias com o Instituto. “O caminho é continuar pensando na formulação e adoção de novas tecnologias e políticas públicas, e encontrar os métodos que permitam implementar essas inovações em larga escala” disse Sonia Isoyama Venancio, assistente de direção do IS em entrevista produzida para a Abrasco. Confira também a cobertura do aniversário.

Assista à cerimônia abaixo ou diretamente na página do YouTube (1ª parte em 33:30 e 2ª parte em 02:57:10 ): 

Comments

comments

Deixe uma resposta