Abrasco participa do simpósio Avanços, desafios e perspectivas da articulação interfederativa no novo ciclo da gestão do SUS


Na tarde desta terça-feira, o presidente da Abrasco, Luis Eugenio Souza, participou do Simpósio ‘Avanços, desafios e perspectivas da articulação interfederativa no novo ciclo da gestão do SUS’, durante a II Expogep. Em pauta, reflexões acerca da articulação entre os entes federados, na formulação e implementação da Política de Saúde, tendo como marco o Decreto 7.508/11, no sentido de contribuir para o avanço das práticas institucionais da gestão compartilhadas do SUS.

Luis Eugenio completou a Mesa ‘Perspectivas da articulação interfederativa na Saúde: avanços e desafios coordenada pelo professor Paulo Capucci, da APSP, e com a professora Lenir Santos, do Idisa, e ainda Eni Carajá, conselheiro nacional de saúde. ‘A descentralização da saúde trouxe efeitos positivos, como a expansão da atenção básica, mas também está provocando a fragmentação do sistema. A regionalização é a via para superar a fragmentação, mas exige a ampliação do financiamento da saúde e a constituição de mecanismos efetivos de coordenação federativa, que assegurem a autonomia regional e a participação social’, comentou Luis Eugenio.

Em seu discurso de abertura na II Expogep, o secretário Odorico Monteiro destacou os legados da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP MS) ao longo dos últimos três anos de gestão. Sobre a articulação interfederativa, o secretário ressaltou o Contrato Organizativo de Ação Pública (COAP) e a assinatura do Decreto 7.508/11 como fundamentais para a garantia do princípio de integralidade do SUS. “O COAP é um instrumento de gestão solidária do SUS para que possamos, de fato, garantir a integralidade, porque a universalidade, por si só não dá conta”.

A segunda edição da Mostra Nacional de Experiências em Gestão Estratégica e Participativa do SUS – II EXPOGEP, aconteceu de 2 a 6 de fevereiro. Quase 4 mil pessoas estão participando do evento em Brasília, entre eles gestores públicos, acadêmicos, trabalhadores da saúde e militantes sociais da saúde.

Abrasco na abertura da 2ª Expogep

A força da gestão estratégica e participativa do SUS deu o tom dos discursos na abertura da II Mostra Nacional de Experiências em Gestão Estratégica e Participativa no SUS (II EXPOGEP). O auditório Master, do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, ficou lotado de gestores do Sistema Único de Saúde, técnicos, trabalhadores e pesquisadores de Brasil e de outros países. Na ocasião, também foi entregue o Prêmio Cecília Donnangelo de Ouvidoria do SUS.

Em sua fala, o presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Luiz Eugenio, falou da importância da participação social nos 25 anos de SUS. “Vamos ter aqui na Expogep várias experiências bem sucedidas de avanço do SUS. Eugenio ressaltou ainda que aquela era uma noite de emoções “nos despedíamos de dois companheiros – Padilha e Odorico – que, ao longo uma noite de reafirmação do compromisso com o SUS e de enfretamento de seus desafios, que podem ser sistematizados em 5 pontos: por um modelo de desenvolvimento nacional sustentável e inclusivo; pelo fortalecimento da participação social; pela integralidade da atenção à saúde com um padrão tecnológico adequado ao perfil epidemiológico da nossa população; por um modelo de gestão que favoreça a autonomia das regiões de saúde e a organização das redes de atenção, além da carreira para os trabalhadores da saúde e ainda por um financiamento adequado e estável” concluiu o presidente da Abrasco.

Comments

comments

Deixe uma resposta