Abel Packer reúne-se com Fórum de Editores de Saúde Coletiva


Realizada em 6 de março na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), em continuidade as reuniões anteriores do Fórum e Editores  de Saúde Coletiva, os editores científicos presentes tiveram um encontro com Abel Packer, Coordenador do Programa SciELO / FAPESP (Scientific Electronic Library Online). O encontro marcou a retomada do diálogo do sistema de publicações científicas com as revistas da área, que questionam os métodos recém adotados de pontuação e de qualificação da produção científica. Foi o quarto encontro do novo coletivo dedicado a pensar as ferramentas e as metodologias da produção científica na área.

Após a rodada de apresentação, Packer discorreu sobre a proposta dos novos critérios de dimensionamento dos diversos periódicos do SciELO. Lembrou que vários fatores contribuíram para a criação desses critérios, formulados por decisão do Conselho Consultivo do Programa, e que tiveram como princípio adequar a ferramenta à percepção da realidade dos periódicos brasileiros, bem como tentar oferecer aos editores o desempenho editorial que esperam da plataforma eletrônica. A cada vez maior necessidade de  indicadores e a grande demanda de inserção de periódicos na base contribuíram para a atual proposta. Segundo o coordenador, são recusadas, por diferentes razões, entre 80% e 90% das solicitações de inclusão de novos periódicos na base.

O coordenador do SciELO sintetizou os novos critérios para credenciamento e permanência dos periódicos na base eletrônica a partir de três pontos: profissionalização, internacionalização e sustentabilidade dos periódicos. Seguir procedimentos já padronizados para editoração científica, como a preparação de arquivos no formato XLM, a obtenção do DOI (Digital Object Identifier)e a adoção de sistemas online de submissão são os pilares centrais do que o programa vem entendendo como profissionalização. No quesito sustentabilidade, Packer reforçou a importância dos periódicos garantirem fontes estáveis de financiamento, para não pôr em risco a continuidade nem a periodicidade dos títulos.  Sobre os critérios de internacionalização, esclareceu que, num primeiro momento – de 2015 a 2016, a avaliação será feita sim por área de conhecimento, e não por periódico. Sob as formas de comunicação com o Programa, ele limitou-se a reforçar a representação de área e o blog do SciELO.

Após a exposição, diversas falas dos editores pontuaram a história do SciELO, sua relação com os periódicos e com a BIREME, e a importância de novas metodologias e ferramentas de avaliação para contemplar a singularidade das publicações da Saúde Coletiva. Ao final, foi decidida a organização de um seminário do Fórum de Editores  de Saúde Coletiva com a perspectiva de formular melhor diagnóstico da situação da área e de se estudar a possibilidade de discussão de novos critérios.

Para o professor José Leopoldo Antunes, Editor Associado da Revista de Saúde Pública, publicada pela FSP/USP, “apesar das diferenças de opinião, toda a reunião transcorreu com cordialidade, sinalizando a possibilidade de uma comunicação mais eficiente entre Fórum e o SciELO no futuro próximo”.

Carlos Silva, secretário-executivo da Abrasco, acompanhou a reunião. Ao tomar a palavra, fez uma saudação aos presentes em nome do professor Luis Eugenio de Souza, presidente da Associação. Ele também achou o encontro muito bom e marcou, em sua fala, o importante avanço das negociações e no diálogo entre editores e o SciELO, que teve como desdobramento a proposta de realização do seminário. “Abraçamos essa ideia com o Fórum de Editores e o SciELO como forma de abrir espaço para a revisão das ideias sobre o processo de produção científica e o amadurecimento do debate sobre os novos indicadores propostos pela plataforma eletrônica”. A definição de datas e a composição final do comitê executivo para coordenação da atividade serão debatidos em reunião futura, ainda não agendada.

Comments

comments

Deixe uma resposta