A programação científica do 8º Simbravisa

 

“Sertão é isto: o senhor empurra para trás, mas de repente ele volta a rodear o senhor dos lados. Sertão é quando menos se espera”.

Inspirado no olhar do escritor Guimarães Rosa e nas veredas contemporâneas do setor saúde e do próprio país, o Grupo Temático Vigilância Sanitária da Associação Brasileira de Saúde Coletiva – GT Visa/Abrasco, convida todas e todos os interessados a participar do 8º Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária – 8º Simbravisa – que acontecerá de 23 a 27 de novembro, em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

A expectativa é reunir cerca de mil pessoas, entre profissionais municipais e estaduais das diversas vigilâncias em saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, além de docentes, estudantes, pesquisadores e ativistas das diversas áreas da Saúde Coletiva para dialogarem a partir do lema: “Democracia e Saúde: caminhos e descaminhos da Vigilância Sanitária”.

Coordenadora do GT Visa e presidente do Simpósio, Ana Cristina Souto explicou a escolha do eixo temático, que deu sequência ao método de trabalho trilhado pelo GT nos últimos eventos, que privilegia novos olhares sobre os temas da conjuntura em saúde. No 7º Simpósio, realizado em 2016, o Grupo partiu da contribuição artística de Carybé, pintor argentino radicado na Bahia que retratou pescadores, quituteiras e demais trabalhadores informais da cidade de Salvador, servindo de ponto de partida para debater o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária: – “Para essa edição do Simbravisa escolhemos a democracia, que tem estado em destaque por conta da perda expressiva de direitos como implicação da crise, e Guimarães Rosa. Ao estudar a obra desse escritor, vimos que ele trata o sertão como um ponto de partida. Isto também nos levou a pensar a ideia de caminhos e descaminhos e fazer essa analogia, de pensar os sertões e sua profundidade, que é um pouco também dos caminhos e descaminhos das áreas da vigilância na saúde, essa coisa tão complexa, mas que tem um caminhar próprio tão importante nos últimos 30 anos” explica Ana Souto.

A ideia de trabalhar com o universo de Guimarães Rosa alimentou também o desejo do grupo mineiro de trabalhadores da Visa em sediar o encontro. “Havia também um clima bem incentivador de todas as ‘visas’ dos quatro cantos do país para que Minas sediasse o 8º Simbravisa. Assim, lá mesmo, ‘dali’ de Salvador, batemos o martelo e aceitamos o desafio” diz Rilke Novato Públio, superintendente estadual de Vigilância Sanitária, ligada à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e coordenador da Comissão Organizadora Local.

Do problema à ação: Os caminhos e descaminhos roseanos também inspiraram o desenho da programação científica. “A intenção é propiciar ao simposiasta uma vivência que, imergindo nos descaminhos dos problemas cotidianos, permita perceber que só realizaremos plenamente a nossa finalidade se a saúde continuar sendo um direito de cidadania. E isso só é possível com a democracia” conta Luiz Antônio Quitério, coordenador da Comissão Científica do evento.

Nos dois primeiros dias (23 e 24) Cursos serão oferecidos na Escola de Saúde Pública de Minas Gerais para as interessadas e interessados em temas específicos e atividades preparatórias.

A abertura e o seguimento do evento serão no ExpoMinas, que terá a conferência de abertura feita por Léo Heller, pesquisador do Instituto René Rachou – Fiocruz Minas e Comissário das Nações Unidas para o tema da água e recursos hídricos.

Na segunda-feira, dia 25, haverá oito salas concomitantes, cada uma com um problema diferente, apresentados por colegas que o vivenciaram, para serem debatidos pelos participantes de cada espaço. À tarde quatro mesas-redondas tematizarão os problemas, trazendo elementos técnicos e científicos associados às questões debatidas.

O dia terminará com o “Grande Encontro” onde serão debatidos os determinantes desses “descaminhos”, que se encontram também no âmbito das políticas de saúde e no modelo de desenvolvimento que se pretende para o país. Participarão dessa atividade integrantes históricos do GT Visa, como Geraldo Lucchese, Ana Maria Figueiredo de Souza e Ediná Alves Costa. O evento terá ainda as conferências de Marcelo Firpo e de Juarez Guimarães.

Além desses nomes, diversos especialistas em regulação em saúde, e em temas como alimentação e nutrição, medicamentos, grandes eventos, agricultura, agrotóxicos e agroecologia divididos em 16 painéis e 10 mesas-redondas. Juntamente com a participação de pesquisadores e estudantes que apresentarão suas pesquisas e relatos de experiências, o 8º Simbravisa promete ser um espaço central para pensar alternativas de um SUS comprometido com a universalidade e a saúde da população brasileira.

Acesse aqui o site do simpósio com a programação completa.

Comments

comments

Deixe uma resposta