A Abrasco é construída por muitas mulheres

Este slideshow necessita de JavaScript.

Neste domingo celebra-se o 8 de Março, dia histórico para o feminismo e a resistência das mulheres. O 8M é um marco de união, ação e reivindicação pela garantia dos direitos e pela equidade de gênero, e se estende à toda a sociedade e para além da data. A Associação Brasileira de Saúde Coletiva é construída por muitas mulheres, e saúda a todas neste Dia de Luta Internacional:

“A minha mensagem hoje é para todas as mulheres brasileiras e, em especial, para as trabalhadoras, que a todo dia ajudam a construir este país, educam suas filhas e filhos e cuidam das pessoas mais fragilizadas. Falo com vocês que, mesmo nos tempos mais difíceis, com ataques aos direitos das mulheres conquistados com tanta luta, não perderam a esperança em um mundo melhor.

Somos muitas. Resistimos, enfrentamos batalhas maiores do que nós, mas não desistimos.

Não desistimos porque acreditamos na justiça social, acreditamos que existe um mundo melhor que pode ser aqui, mas que para alcançá-lo temos que estar unidas. Somos fortes e a nossa voz será ouvida.

Nós merecemos todas as flores do mundo, muito carinho, muito respeito e uma sociedade justa e igualitária

Um grande abraço a todas vocês! Viva o Dia Internacional da Luta das Mulheres!”


“Trata-se de um dia para celebrar a luta das mulheres, mas também para refletir os progressos dos nossos direitos, onde precisamos e podemos avançar ainda mais. Cotidianamente, a saúde é construída por muitas mulheres, e na Abrasco não é diferente: elas representam 75,4% do total de associados. São muitos os desafios que a conjuntura apresenta, como a busca por reconhecimento na ciência, o enfrentamento ao feminicídio e ao superencarceramento feminino. E, diante desse cenário, precisamos destacar quem são as maiores vítimas: as mulheres vulnerabilizadas. Devemos lembrar delas em nossa inserção na academia e nos movimentos sociais, em todos espaços que ocupamos. Até porque ser mulher e ocupar os espaços de poder é urgente e necessário para que o SUS se fortaleça enquanto serviço plural e atento ao direitos de todas as mulheres”.


Este slideshow necessita de JavaScript.

“Hoje, 8 de março, é um dia que nos orgulha e nos renova de energia. Uma energia que está em cada uma das mulheres do nosso país, desde aquelas que vivem nas comunidades ribeirinhas até as que habitam as grandes cidades do Brasil. Uma força que está em todas nós, trabalhadoras, pois nossa vida é marcada pelo trabalho, seja na esfera pública, seja no mundo privado, ou, o que é mais comum, em ambas, na casa e na rua.

Na condição de condutoras do grupo temático Gênero e Saúde da Abrasco, afirmamos nosso compromisso de permanecer defendendo, com veemência, o SUS, o estado laico e os direitos de todas as mulheres brasileiras, respeitando nossas diferenças. No que cabe diretamente ao GT, continuaremos produzindo ciência conectada às demandas da sociedade, analisando os temas que impactam a vida, a saúde e os direitos reprodutivos e sexuais das mulheres brasileiras.

+ Por um pacto a favor das mulheres brasileiras: nota Abrasco e Cebes

Os retrocessos a que assistimos hoje no Brasil não nos enfraquecerão, pois nós, as mulheres, somos cada vez mais fortes, atuantes e comprometidas com a democracia, com a vida e com a saúde de todas e de todos. Vamos para as ruas, agir com alegria e entusiasmo, saudando os diferentes feminismos e conclamando-os a uma união em prol de todas as mulheres brasileiras. E com esta mesma disposição, vamos continuar participando, diariamente, da vida do nosso país. Viva as mulheres brasileiras! Viva as mulheres que lutaram e lutam por uma sociedade mais justa, democrática e igualitária!”

+ Epidemia invisível: qual o papel do SUS no combate à violência contra as mulheres? 

Comments

comments

Deixe uma resposta