Mestrado profissional ProfSaúde chega a Tocantins

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) preparam-se para a inserção do Mestrado Profissional em Saúde da Família (ProfSaúde) em Tocantins, em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e com apoio da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp).  Na semana passada, representantes das instituições e trabalhadores do SUS se reuniram para escutar Carla Pacheco, coordenadora executiva nacional do programa. A principal novidade é que agora poderão se inscrever também dentistas e enfermeiros – as duas primeiras turmas do ProfSaúde, que aconteceram em outras instituições, foram exclusivas para médicos. Leia matéria de Lorena Karlla*:

A médica e coordenadora executiva nacional do ProfSaúde, Carla Pacheco, falou sobre os objetivos do curso que já conta com duas turmas. “É uma estratégia de formação ofertada aos profissionais inseridos nos serviços de saúde, que visa fortalecer o SUS, qualificar a Atenção Primária e preparar médicos para a docência e produção de conhecimento e gestão em saúde da família”, ressaltou.

A coordenadora destacou que o curso contempla todas as regiões do Brasil, mas que a Fiocruz quer fortalecer a formação na Região Norte do País que já conta com turmas nos estados de Rondônia e Amazonas. A primeira turma composta por 170 médicos forma em agosto deste ano; já a segunda turma, ainda em andamento, conta com 200 médicos. “As duas primeiras turmas são compostas exclusivamente por médicos, mas ao longo desses anos, vimos a necessidade dessa formação se estender para outras áreas, até porque o médico no dia a dia trabalha em equipe, então a partir da terceira turma que inicia no ano que vem, as áreas de Enfermagem e Odontologia estão inseridas”, destacou Carla, informando que o edital de seleção deve ser lançado até agosto deste ano com previsão de no mínimo 200 vagas de ampla concorrência.

Expectativas

O médico ginecologista e obstetra Valdir Francisco Odorizzi, que atua na rede municipal de saúde de Palmas e é professor do curso de Medicina na UFT, será o coordenador do curso no Tocantins. “Como é um mestrado profissional, ele não é focado só em artigo, ele focado em protocolos, cartilhas, serviço-saúde, educação profissional, abrange várias áreas e eu acredito que nós vamos ter uma série de inovações que vão melhorar os serviços e com isso melhorar o atendimento à população”, afirmou Odorizzi, ressaltando que pretende solicitar pelo menos dez vagas para o Tocantins.

O Mestrado Profissional em Saúde da Família tem o apoio da Fesp que investe em iniciativas educacionais que visam a transformação e reestruturação dos serviços por meio da implantação do plano de educação permanente e do plano integrado de residências em saúde. “O Mestrado Profissional em Saúde da Família vem trabalhando nessas três áreas que é a atenção, educação e gestão, então vem para complementar esse processo tanto de melhoria das práticas quanto do desenvolvimento de pesquisas aplicados ao SUS como processo de transformação da realidade”, frisou a presidente da Fesp Jaciela Leopoldino.

 

*Texto originalmente postado no portal Surgiu. 

Comments

comments

Deixe uma resposta