Conferência Internacional de Epidemiologia Ambiental põe em evidência contexto latino-americano


Os desafios da saúde passam, centralmente, pela forma como homens e mulheres entendem e cuidam dos recursos do planeta e como as lideranças econômicas, políticas e sociais definem políticas públicas para os mesmos. Cerca de 600 pesquisadores de mais de 30 países estarão em São Paulo a partir deste sábado, dia 29, até 03 de setembro para este e outros debates durante a 27ª Conferência Internacional de Epidemiologia Ambiental (ISEE 2015), organizado pela International Society for Environmental Epidemiology (ISEE) e co-produzido pela Abrasco e pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). As atividades pré-congressuais serão no dia 29, nas dependências da FMUSP, e as plenárias centrais começam no dia 31 e serão realizadas no Centro de Convenções Rebouças.

Nelson Gouveia, professor da FMUSP e membro da gestão 2012-2015 da Abrasco é o presidente da Conferência. Ele destaca a importância da realização do evento no Brasil. “A ISEE é uma entidade de grande reconhecimento nos meios científicos internacionais e congrega um corpo de associados altamente qualificado. A maioria dos encontros anuais acontece ou nos Estados Unidos ou Europa. Esta será a primeira edição na América do Sul. Quando propomos a vinda do evento para o país, o objetivo foi de ampliar a visibilidade da produção científica nacional e latino-americana, bem como dos nossos temas e discussões.”

Questões locais, debate global: Com a maioria estrangeira entre os pesquisadores inscritos, a língua oficial das comunicações científicas será o inglês. Para sanar eventuais barreiras linguísticas e qualificar o conjunto dos trabalhos a serem apresentados, o Comitê Organizador Local em conjunto com a ISEE promoveu um programa de mentoria que, de dezembro passado a fevereiro deste ano, acompanhou jovens mestres e doutores para sistematizar conceitos e ideias antes da submissão. “Inovamos nesse processo com a formação de um grupo de pesquisadores seniores no intuito de melhorar a qualidade do resumo e auxiliar na redação dos trabalhos. O resultado foi positivo, pois de fato incentivou a submissão de jovens pesquisadores”, disse Gouveia.

Outra novidade da edição brasileira da ISEE é a abertura a temas locais, como explica o presidente da Conferência. “A questão dos determinantes sociais em saúde e como eles podem gerar desigualdades de saúde ambiental é altamente relevante para a saúde pública em geral, e particularmente para a América Latina, e vem atraindo cada vez mais atenção. Portanto, o tema central será “Enfrentando Desigualdades em Saúde Ambiental’. Dentro dessa preocupação, o saneamento, um desafio regional que simboliza para muitos brasileiros as iniquidades em saúde, terá destaque”.

O tema terá as leituras de Léo Heller, pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre água e saneamento, e de Maurício Barreto, professor da UFBA e também pesquisador da Fiocruz. As mesas centrais estão identificadas na programação como Plenary Lecture e debaterão ainda temas como emissões de carbono, áreas verdes e a qualidade do ar nos grandes centros; alternativas ao aquecimento global, e a articulação entre ciência e ética no processo de tomada de decisões. Confira abaixo os participantes dessas sessões e acompanhe aqui, no Portal Abrasco, a cobertura completa do evento.

27ª Conferência Anual da International Society of Environmental Epidemioly (ISEE 2015)
De 30 de agosto a 03 de setembro
Centro de Convenções Rebouças
Av. Rebouças, 600 – Pinheiros, São Paulo

Plenárias centrais – Planaries Lectures
Sempre das 8h30 às 10 horas, no auditório principal

segunda-feira, 31 de agosto
Fifty Shades of Green – Pathwat for a Healhier Urban Living
Palestrante: Mark J Nieuwenhuijsen – CREAL (Espanha)
Big Data, Environmental (and Social) Epidemiology, Power and Politics
Palestrante: Howard Hu – University of Toronto (Canadá)
Coordenadores: Nelson Gouveia – DMP-FM/USP (Brasil) e Francine Laden – Harvard School of Public Health (EUA)

terça-feira, 01º de setembro
Water, Sanitation and Human Rights
Palestrante: Léo Heller – Fiocruz (Brasil)
Impact of Sanitation on Health: Challenges of Evaluating in Complex Urban Contexts
Palestrante: Mauricio Barreto – Fiocruz (Brasil)
Coordenadores: Manolis Kogevinas – Centre for Research in Environmental Epidemiology (Espanha) e Francesco Forastiere – Lazio Regional Health Service (Itália)

Quarta-feira, 02 de setembro
Climate change mitigation and air pollution: A joint work makes both more effective
Palestrante: Paulo Eduardo Artaxo Netto – Instituto de Física/USP (Brasil)
Carbon pollution and inequality: leadership in resilience from the most vulnerable
Palestrante: Kristie L. Ebi – Departamento de Saúde Global da University of Washington (EUA)
Coordenação:: George Douglas Thurston – New York University School of Medicine (EUA) e Paulo Saldiva – FM/USP(Brasil)

Quinta-feira, 03 de setembro
Ethical Dimensions of Producing and Using Evidence to Inform Policy in a World of Ever-Expanding Environmental Health Inequalities
Palestrante: Colin L. Soskolne – Universidade de Alberta (Canadá)
The Ethical Duty to Protect You From My Unrecognized Biases
Palestrante: Raymond Richard Neutra – Divisão de Controle de doenças ambientais e ocupacionais do Estado da Califórnia (EUA)
Coordenação: Wael Al-Delamy – Divisão de Saúde Global do Departamento de Medicina de Família e Saúde Pública da Universidade da Califórnia em San Diego (EUA) e Tony Fletcher – Fundação de Saúde Pública da Inglaterra (Reino Unido)

Comments

comments

Um comentário sobre “Conferência Internacional de Epidemiologia Ambiental põe em evidência contexto latino-americano

Deixe uma resposta