WFPHA aponta à OMS a necessidade de distribuição equitativa das vacinas contra Covid-19

Foto: Unicef/Dhiraj Singh

A Federação Mundial de Associações de Saúde Pública (WFPHA) emitiu duas notas acerca da vacinação em nível global que foram lidas durante a realização da 148º sessão do Conselho Executivo da Organização Mundial de Saúde que se realiza essa semana. Na primeira, a entidade ressalta que a imunização contra a Covid-19 deve ser considerada um bem público mundial e que as vacinas devem ser produzidas em maior escala, especialmente para que possam chegar aos países de baixa e média renda. Já na outra nota, é elogiada a abertura e colaboração que a OMS tem tido com organizações de saúde pública, científicas e da sociedade civil no tocante aos determinantes sociais e à equidade na saúde.

Na mesma linha dessas declarações, a Aliança de Associações de Saúde Pública das Américas (AASPA) lançou um manifesto público em que destaca a importância de ações efetivas e concretas de solidariedade e cooperação global em prol do cuidado e da proteção da vida e da saúde.

+ Confira o comunicado da ASPA na íntegra.

A importância dos comunicados é enfatizada pelo vice-presidente da WFPHA, Luis Eugenio de Souza ( que presidiu a Abrasco entre 2012 – 2015e compõe o Conselho Deliberativo da gestão atual): “Ter essas declarações, emanadas da sociedade civil, acolhidas no Conselho Executivo da OMS, é importante para que se aprovem medidas concretas que favoreçam uma distribuição equitativa das vacinas contra a Covid-19″.

Neste sentido, uma das notas ressalta que governos e indústrias farmacêuticas devem tomar medidas urgentes para garantir a produção e a distribuição equitativa de doses suficientes da vacina Covid-19. Segundo a nota, 92 países de baixa e média renda serão capazes de vacinar apenas uma em cada cinco pessoas neste ano de 2021. Enquanto isso, os países de alta renda, que representam apenas 14% da população mundial, já adquiriram 48% dos 8,6 bilhões de doses das vacinas mais promissoras.

Para que tais medidas avancem, a WFPHA propõe que a OMS apoie a proposta de renúncia de propriedade intelectual de vacinas, testes e tratamentos para Covid-19, apresentada pela Índia e pela África do Sul ao Conselho TRIPS da Organização Mundial do Comércio. Além disso, recomenda aos países membros da OMS o compartilhamento aberto de tecnologia das vacinas, o financiamento adequado do COVAX, interrompendo acordos bilaterais, e o fortalecimento dos sistemas nacionais de saúde.

Confira como foi a leitura feita por Marta Lomazzi, secretaria da WFPHA, da declaração sobre acesso equitativo a vacinas contra Covid-19.

Comments

comments

Deixe uma resposta