Presidente da Abrasco fala sobre formação médica na Globo News


01 de agosto de 2013

 

'Mudança na formação médica exige debate', diz presidente da Abrasco em entrevista no Jornal da Globo News – Edição das 18h00, apresentado pela jornalista Leilane Neubarth. A entrevista foi feita ao vivo, nesta quarta-feira, 31 de julho, no Rio de Janeiro.

 

O governo desistiu de incluir dois anos na graduação do curso de medicina. Pela nova proposta, médicos continuam se formando em seis anos, com dois anos de residência obrigatória.

 

Para o presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Luis Eugênio de Souza, a postura do governo de rever a proposta inicial reconhece a necessidade do debate antes que a decisão seja tomada. “Uma proposta de mudança da formação médica, que é uma formação longa e cara para a sociedade, precisa ser feita de uma forma muito negociada e amadurecida com as universidades, com as entidades médicas, com as entidades da sociedade civil”, avalia Luis Eugênio.


Luis Eugênio acredita ainda que os dois anos de residência obrigatória no SUS – um ano na emergência e um ano na especialização –, previstos para entrar em vigor em 2018, irão melhorar a formação dos médicos, mas é preciso que haja uma discussão sobre as condições dos hospitais onde as residências vão ser desenvolvidas. “A residência é um estágio em serviço sob supervisão, exige boas condições das unidades de saúde onde esses residentes vão se inserir e exige supervisão adequada”, observa o médico.

 

Assista aqui a íntegra da entrevista

 

 

Luis Eugenio de Souza e Leilane Neubarth

 

Comments

comments