Grande debate movimenta último Seminário Preparatório do 2º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde na UFMG


29 de agosto de 2003 – Por Vilma Reis

 

 


Todos os 250 lugares do Auditório da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, estavam ocupados para assistir ao 4º e último Seminário Preparatório do 2º Congresso de Política, Planejameto e Gestão em Saúde da Abrasco. Durante quase 8 horas, a Saúde Coletiva foi debatida por especialistas com intensa participação do público. O Seminário  preparatório teve transmissão ao vivo via tiwtter da Abrasco.

 

 

Na mesa de abertura, a Eli Iola Rangel – vice-presidente da Abrasco e presidente da Comissão Científica esteve com o médico Antonio Leite Alves Radicchi, Bruno Reis de Oliveira e ainda Ederson Alves da Silva para dar as boas vindas aos participantes.

 

A seguir, a Mesa Redonda: Entre o público e o privado – Formas de gestão e provisão de serviços na área de saúde contou a coordenação de Juan Stuardo Yazlle Rocha (USP).  “A voz das ruas trouxe a saúde para o 1º plano e eu saúdo este movimento com grande expectativa. Aqui nesta Mesa também vamos tratar de um tema que está na ordem do dia, o Mais Médicos. Parece até que ninguém lembra que há décadas nosso problema do público e privado bate nessa tecla, a tecla da necessidade de mais médicos para a população brasileira”, disse Juan, começando o debate.

 

 

Mesa Redonda: Entre o público e o privado – Formas de gestão e provisão de serviços na área de saúde

 

 

Esta primeira Mesa Redonda teve início com Sérgio Luiz Cortes da Silveira (Secretário do Estado da Saúde do Rio de Janeiro) que falou um pouco de sua trajetória e opinou sobre o Mais Médicos: “Um dos grandes culpados para a falta de profissionais nas regiões periféricas do país, têm sido a formação. Nossos médicos têm sido formados para a gestão privada. No Rio de Janeiro, dos 1700 médicos que se formam anualmente, apenas 900 têm residência médica garantida, a falta de estrutura na Atenção Básica desestimula a atratividade para estes profissionais”, ressaltou.

 


A professora Carmem Teixeira apresentou ‘Modelos de gestão do SUS: revisão e problematização’ ACESSE AQUI A APRESENTAÇÃO DE CARMEM TEIXEIRA. Para Carmem 'É necessário avançar com a realização de estudos e pesquisas na área de Gestão de sistemas e serviços de saúde pois a produção ainda é incipiente e está marcada por relatos de experiências e estudos de caso. Enfim, é essencial promover debates sobre o tema com base na revisão da experiência internacional e no aprofundamento das propostas de mudança no Estado e na administração pública brasileira', resume a professora.

 

Juarez Guimarães ( UFMG) começou sua comunicação lembrando que “o projeto SUS constitui o momento mais avançado da nossa constituição. O SUS demanda outra história para esse Estado”. E Renilson Rehem de Souza apresentou material sobre a construção do SUS e a experiência em OSS – em que medida o modelo apresenta vantagens. ACESSE AQUI A APRESENTAÇÃO DE RENILSON REHEM.

 

 

 

Participação do público enriquece debate no 4º Seminário Preparatório

 

No 1º debate, participações de Ligia Bahia, Alcides Miranda, José Carvalheiro, Amélia Cohn e Elias Rassi. Ligia lembrou que a Abrasco está avançando no debate brasileiro sobre gestão em saúde, produzindo um documento que será brevemente divulgado.  José Carvelehro pediu mais informações à Mesa sobre a revisão da lei da Responsabilidade Fiscal e os esforços para fazer uma legislação especial para a saúde. Já a professora Amélia Cohn chamou a atenção para o fato de que “lembrem-se que quando fazemos avaliação de satisfação do usuário, e é isso que estamos sempre fazendo, colocamos a saúde como um bem de consumo e não mais como um direito”.

 

A Segunda Mesa Redonda: Impasses e perspectivas da construção do SUS no momento atual foi coordenada pelo professora Eli Iola Gurgel Andrade, e contou com a participação de Francisco Eduardo Campos (UFMG), Ivan Batista Coelho (UFOP), Helvécio Magaljães (Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde) e Ligia Giovanella (Fiocruz) que apresentou material sobre os Impasses e perspectivas da construção do SUS no momento atual: Desafios para a consolidação de um sistema nacional de saúde – universal, público, equitativo, de qualidade. ACESSE AQUI A APRESENTAÇÃO DE LIGIA GIOVANELLA.

 

 

 

Mesa Redonda: Impasses e perspectivas da construção do SUS no momento atual 

 

 

 

Leia mais sobre o 4º Seminário Preparatório do

2º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde

Comments

comments