Estudantes acreditam no “conto” do cigarro que não faz mal à saúde


Adolescentes fumantes e não-fumantes acreditam que cigarros de baixos teores de alcatrão e nicotina fazem menos mal à saúde. Por isso, esse tipo de cigarro atualmente é o mais fumado na maioria de 14 capitais brasileiras que serviram de palco para uma pesquisa mundial com escolares que analisa os fatores que estão associados à iniciação ao tabagismo. Os resultados da pesquisa foram apresentados durante o 11º Congresso Mundial de Saúde Pública. No Brasil, o trabalho sobre tabagismo foi conduzido por uma equipe do Instituto Nacional do Câncer, que levantou dados de 19.217 alunos de 339 escolas públicas e particulares de 14 estados brasileiros. Os alunos eram de 7ª e 8ª séries do ensino fundamental e da 1ª série do ensino médio A preferência por cigarros de baixos teores de alcatrão e nicotina revelou, para os pesquisadores, a crença que eles causam menos problemas de saúde, estando mais protegidos dos danos ligados ao hábito do tabagismo.

Em algumas capitais, como João Pessoa, na Paraíba, a preferência por cigarros de baixo teor teve percentual de 63.7% entre os estudantes entrevistados, enquanto em Palmas, no Tocantins, 53.6% de escolares fumantes responderam como verdadeira a afirmativa  “pessoas que fumam cigarros com baixos teores de alcatrão e nicotina – os chamados cigarros light, suaves, leves – têm menos doenças causadas pelo cigarro do que aquelas que fumam cigarros com altos teores de alcatrão e nicotina”.  Entre os estudantes não fumantes de Salvador, 43.8% responderam “sim” em relação à mesma afirmativa.

Comments

comments