PROFSAÚDE lança duas publicações com artigos de pesquisa e experiências em Saúde da Família

Foto: Araquém de Alcântara/Acervo Casa de Oswaldo Cruz

O Mestrado Profissional em Saúde da Família – PROFSAÚDE foi criado com o intuito de suprir uma carência na formação de docentes para a Atenção Primária à Saúde (APS) no SUS. O curso busca aproximar instituições acadêmicas, profissionais e gestores da saúde pública à produção de conhecimentos e inovações para a APS. A rede do PROFSAÚDE atualmente é constituída por 22 Instituições Públicas de Ensino Superior distribuídas nas diferentes regiões e tem realizado produção constante de trabalhos que auxiliam na formação profissional e nos debates necessários para essa área da saúde coletiva. Agora, alguns desses trabalhos foram reunidos em duas coletâneas: Atenção, Educação e Gestão: Produções da Rede PROFSAÚDE (Editora Rede Unida) e o Suplemento da Revista Interface: Comunicação, Saúde, Educação (Unifesp).

Ambas as publicações registram experiências de pesquisas e intervenções realizadas em diversos cenários e contextos de implementação do SUS e particularmente da Estratégia em Saúde da Família no país. Estes trabalhos são frutos da cooperação bem-sucedida de alunos e docentes do Programa. O coordenador da Rede APS da Abrasco e Pró-Reitor do PROFSAÚDE, professor Luiz Augusto Facchini (presidente Abrasco 2009 – 2012), destaca a importância de tais publicações: “Ao abordar uma grande diversidade de temas, as publicações revelam carências e sobretudo potencialidades da APS brasileira perante os desafios históricos do SUS e aqueles que emergiram com a Covid-19”.

As publicações buscam ainda trazer novas perspectivas para as questões da prática e da formação profissional. Em um momento que o SUS vem tendo sua importância reconhecida pela população por conta do enfrentamento à pandemia e também sofrendo ataques com ameaça de privatização e corte de verbas, tal debate se torna ainda mais necessário. Por conta disso, Luiz Facchini destaca a busca por novas opções neste cenário como fundamental: “Nosso desejo é que os artigos tragam novas perspectivas para as questões da prática e da formação profissional e inspirem leitoras e leitores a sondar novos caminhos para melhorar a ESF. Essa inspiração poderá criar novas opções na encruzilhada em que nos encontramos”.

Comments

comments

Deixe uma resposta