Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais: #VacinarParaNãoVoltar

As vacinas estão entre as tecnologias com maior impacto positivo na proteção da vida já desenvolvidas pela humanidade. Não obstante, as coberturas vacinais no mundo vêm caindo nos últimos anos. No Brasil, a situação não é diferente. O momento é preocupante, com o risco de retorno da poliomielite, como já ocorreu com o sarampo, que precisa voltar a ser eliminado, ao mesmo tempo em que garantimos proteção contra as demais doenças imunopreveníveis.

Em meio à apreensão, a Oficina “Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais: #VacinarParaNãoVoltar” irá apresentar os resultados animadores do projeto de mesmo nome. Ela se dará no dia 20 de novembro de 2022, como parte da programação do 13° Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrasco) e convidamos a todos. Os dados coletados demonstram a evolução das coberturas vacinais nos estados da Paraíba e do Amapá, onde vem se realizando o projeto e que hoje são o primeiro e o segundo colocados, respectivamente, no ranking daqueles que mais vacinaram contra a poliomielite no país. O projeto vem se somar à importante iniciativa do Vacina Mais, promovida pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e a Fiocruz, e à Iniciativa Global pela Erradicação da Polio, que lançou a Declaração Científica de 2022 sobre a Pólio a fim de concentrar esforços pela erradicação da doença até 2026.

Aproveitamos a realização do Congresso para convocar todo o campo da saúde coletiva brasileira a se apropriar da complexidade inerente à vacinação e a se envolver nas ações necessárias à superação de suas baixas coberturas. Saúde é democracia, diversidade, equidade e justiça social. Os valores do tema central do Congresso inspiram-nos a mobilizar novamente o protagonismo dos profissionais da saúde coletiva e das instituições neste momento de necessário engajamento da sociedade na meta vital de retomada das altas coberturas vacinais. O futuro de gerações de pessoas está em jogo e cabe a nós reconquistarmos a situação prestigiada que já caracterizou a vacinação no SUS em nosso país.

Assinam essa carta:
Rosana Onocko-Campos
Presidente da Abrasco – Associação Brasileira de Saúde Coletiva

Nísia Trindade Lima
Presidente da Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz

Comments

comments

Deixe um comentário