Omissão não é Política Pública

Graças à gestão desastrosa da pandemia de Covid-19 no Brasil, mais de meio milhão de pessoas tiveram as suas vidas interrompidas e a tendência é que o número de mortes continue aumentando. Em pouco mais de um ano, famílias inteiras sofreram com as mortes de seus membros. Um prejuízo humano incalculável. 

Esta situação dramática pode piorar ainda mais porque vivemos em um país desigual onde grande parcela da população tem dificuldade para acessar direitos essenciais. A pandemia impacta de maneira desproporcional grupos historicamente discriminados, que além de terem violados os seus direitos à vida e à saúde, convivem com a crescente precarização dos serviços e políticas que precisam para viver.

 A crise sanitária que enfrentamos é, sobretudo, uma crise de direitos humanos. É dever do Estado adotar medidas para que os direitos de todas as pessoas sejam garantidos de forma integral. Mas o que se vê, é que o Estado brasileiro tem falhado nesse dever e, por isso, o Senado Federal instituiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Os depoimentos e investigações confirmam: mortes evitáveis têm culpas atribuíveis! 

O discurso negacionista, a insistência no “tratamento precoce” e em respostas sem base em evidencias científicas , o colapso do sistema de saúde por falta de planejamento e coordenação assim como a falta de ação para garantir o acesso à vacinação em massa indicam a possibilidade de existirem responsáveis pelo quadro de total colapso em que estamos vivendo.

Você pode ajudar na responsabilização por tantas mortes e violações de direitos, garantindo que as investigações prossigam: pressione o Ministério Público Federal a não deixar impunes os possíveis crimes apontados pelo relatório final da CPI!  – Clique e assine a petição

Entidades que apoiam a campanha da Anistia Internacional Brasil:

Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) 
Cedeca – CE (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente) 
CIMI (Conselho Indigenista Missionário) 
COIAB – Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira 
Criola 
Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) 
IMUNE-MT (Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso) 
Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos) 
Justiça Global  
Movimento Nacional de Direitos Humanos 
Observatório das Metrópoles 
Olodum 
Oxfam Brasil 
RESAMA – Rede Sul-Americana para as Migrações Ambientais 
Terra de Direitos 

Comments

comments

Deixe uma resposta