Solidariedade a Eduardo Hage

Após ter sido preso em 25 de agosto e liberado por habeas corpus 4 dias depois, Eduardo Hage foi novamente detido pela Polícia Civil do Distrito Federal na manhã desta sexta-feira, 25 de setembro. Exatamente um mês depois, a medida coercitiva faz parte da terceira fase da operação que investiga supostas fraudes na compra de testes para a Covid-19, como informam os veículos de imprensa.

A Abrasco renova sua solidariedade a Eduardo Hage. Médico epidemiologista com larga experiência no controle de doenças transmissíveis, profissional de saúde de reconhecida competência nacional e internacional, Hage sempre teve sua prática guiada pelos princípios da ética e do compromisso com o SUS, tanto na atuação nos serviços como no meio acadêmico, numa carreira com mais de 30 anos de préstimos à saúde pública. 

Apesar de a liminar do ministro do STJ Rogério Schietti Cruz indicar que Hage não teria participação direta no caso, o MP solicitou novamente sua prisão, numa alegação de destaque do envolvimento sem que os argumentos tenham vindo a público. 

Reafirmamos a necessidade de transparência na condução do caso e o imediato esclarecimento sobre as razões da repetição dessa medida extrema, bem como ressaltamos a importância da presunção de inocência.

25 de setembro de 2020

Comments

comments

Deixe uma resposta