Abrasco pauta Plano de Enfrentamento à Covid-19 e falta de coordenação na Saúde ao Jornal Valor Econômico

Edição da Imagem: Abrasco

Desde o lançamento do Plano Nacional de Enfrentamento à Pandemia de Covid-19, em julho, a Abrasco e demais entidades que compõem a Frente Pela Vida alertam sobre a necessidade de um comando unificado, e diretrizes claras, para controlar o coronavírus no Brasil.  O Jornal Valor Econômico publicou nesta quinta-feira, 27 de agosto, um suplemento no qual destaca a falta de uma coordenação no enfrentamento da doença, que já matou mais de 117 mil pessoas no país. 

Na matéria de abertura – Coordenação falha dificulta resposta eficaz contra covid-19 – Gulnar Azevedo e Silva, presidente da Abrasco e professora do IMS/Uerj, declarou ao jornal que o conjunto de propostas  já foi apresentado às autoridades sanitárias: “Nós entregamos [aos secretário de Ciência e Tecnologia em Saúde, Secretário de Atenção Primária a Saúde, e ao assessor da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde] um plano nacional de enfrentamento à pandemia no dia 15 de julho e até agora não recebemos nenhuma resposta”. Segundo o Valor, o Ministério da Saúde informou, no entanto, que “está aberto a qualquer solicitação e colaboração”. Carlos Lula, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); Carlos Machado, cooordenador do Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, e Adelvânio Morato, presidente da Federação Brasileira de Hospitais (FBH) também participam da matéria.

O suplemento traz outras 12 matérias sobre o setor privado e 1 sobre o setor público – Sistema sofre com desequilíbrios crônicos  – que ouviu os abrasquianos Mário Scheffer (FM/USP) e Ligia Bahia (IESC/UFRJ); os também professores Francisco Funcia (USCS), consultor técnico do Conselho Nacional de Saúde (CNS); Élida Graziane Pinto (FGV) procuradora do Ministério Público de Contas do Estado de São Paulo); além de Grazielle David, do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde (Cebes); e Carlos Ocké-Reis, vice-presidente da Associação Brasileira de Economia da Saúde (ABrES).

O Jornal Valor Econômico não permite republicação na íntegra de suas reportagens e o acesso ao link é exclusivo aos assinantes. 

 

Comments

comments

Deixe uma resposta