Nota de pesar pelo falecimento de Ruben Araujo de Mattos

Foto original: Flaviano Quaresma- IMS/Uerj

Faleceu neste 25 de dezembro, no Rio de Janeiro, Ruben Araujo de Mattos, professor associado do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/UERJ). O entusiasmo com que ensinava, a dedicação e diálogo com seus alunos e o debate intelectual intenso com os colegas na academia ficarão gravados. Mas, por onde passou, o sentimento principal é a perda de “uma grande pessoa, com grande coração”.

Ruben graduou-se em Medicina na UERJ, em 1981, e seguiu sua carreira acadêmica na mesma universidade, tornando-se mestre em Medicina, na Área de Concentração Medicina Social (1988), e doutor em Saúde Coletiva (2000). Era professor do IMS/UERJ desde 1985, e foi diretor do instituto de 2004 a 2007. Foi médico do antigo Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS), atuando no Hospital Geral de Nova Iguaçu de 1982 a 1990.

“Ruben, além de um grande mestre, foi um defensor incansável do SUS. Com seu jeito crítico, mas apaziguador, contribuiu com a formação de vários profissionais no Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva e na graduação de medicina da UERJ”, afirmou Gulnar Azevedo e Silva, presidente da Abrasco e também professora e ex-diretora do IMS/UERJ.

Gulnar, em nome de toda a Associação, solidariza-se com familiares, amigos e companheiros de trabalho: “Com certeza uma grande perda. Profissional que dedicou sua vida à formação de pessoas no campo da saúde e que, como ser humano, em todos os espaços de atuação, defendeu até o final a igualdade de direitos e a pluralidade de ideias”.

A produção intelectual do professor é um legado para a Saúde Coletiva. Rosana Onocko Campos, coordenadora da Comissão de Política, Planejamento e Gestão da Saúde da Abrasco, explicou que Ruben, a partir de uma abordagem construcionista da ciência, desenvolveu uma perspectiva plural – apoiando-se nas contribuições de várias disciplinas – a fim de enfrentar os desafios de compreender as políticas de saúde e, assim, subsidiar a melhoria das condições de saúde do povo brasileiro.

Para Rosana, ele se consagrou como “um dos pensamentos mais originais, problematizadores e brilhantes” na área de Política, Planejamento e Gestão da Saúde: “sua obra permanecerá intrinsecamente vinculada aos rumos do SUS. Sua precoce partida nos deixa, sem dúvidas, mais pobres. Ruben Mattos presente!”.

O IMS/UERJ também publicou uma homenagem ao docente, reunindo palavras dos colegas de departamento e de outras unidades da universidade: “A direção do IMS se solidariza com a família e com todos os seus amigos, alunos e ex-alunos que Ruben foi conquistando ao longo de sua vida. Sua partida deixará muitas saudades, mas, seu legado permanecerá em nossos corações e mentes”. Leia a mensagem completa, publicada no site do IMS.

Comments

comments

Deixe uma resposta