Professores universitários emitem nota de repúdio contra Donald Trump

Este slideshow necessita de JavaScript.

As Cátedras Sergio Vieira de Mello, que reúnem professores de dezoito universidades brasileiras dedicados ao ensino, pesquisa e extensão de temas relacionados aos refugiados, emitiram nota de repúdio a Trump por causa das medidas contra imigrantes. Dentre os signatários está o coordenador do Comitê de Relações Internacionais da Abrasco, professor Eduardo Faerstein, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Para ele, o modo trágico como o número crescente de migrantes forçados têm sido tratados por muitos países “atenta contra seus direitos à vida e à saúde, temos a responsabilidade de reagir fortemente a essas tendências xenófobas em ascensão no mundo. Essa é uma das várias medidas do governo Trump que afeta efetivamente a saúde populacional, como retrocessos no controle ambiental, direitos reprodutivos, cobertura de saúde, entre outros”, ressalta Faerstein.

O documento pede que o governo brasileiro mantenha suas fronteiras abertas a refugiados de todos os países:

Manifestamos nosso repúdio contra a ordem executiva do governo do Presidente Donald Trump que suspende Programas de Reassentamento e restringe o acolhimento de refugiados e o ingresso de imigrantes de sete países de maioria muçulmana nos EUA.

Trata-se de flagrante violação ao Direito Internacional dos Refugiados, em especial os princípios do non-refoulement e da não-discriminação, suas pedras angulares.

Por outro lado, as Cátedras exortam as autoridades brasileiras a implementar a Declaração do Brasil, de 2014 (Cartagena +30), e a manter suas fronteiras abertas a refugiados de todos os países, bem como ampliar a elegibilidade de solicitantes de refúgio, diante de um quadro internacional cada vez mais adverso para a proteção de refugiados e migrantes forçados.

Subscrevem os seguintes professores universitários associados a Cátedras Sergio Vieira de Mello:

Acácio Sidinei Almeida Santos – Universidade Federal do ABC;
Adriana Capuano de Oliveira – Universidade Federal do ABC;
Ana Carolina Feldenheimer da Silva – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Andrea Pacheco Pacifico – Universidade Estadual da Paraíba;
Anete Trajman – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Bethania Assy – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Brunela Vincenzi – Universidade Federal do Espirito Santo;
Cesar Augusto Silva – Universidade Federal de Grande Dourados;
Danielle Annoni – Universidade Federal de Santa Catarina;
Eduardo Faerstein – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Fábio Costa Morosini – Universidade Federal do Rio Grande do Sul;
Fernanda de Magalhães Dias Frinhani – Universidade Católica de Santos;
Francisco Ortega – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Giuliana Redin – Universidade Federal de Santa Maria;
Guilherme de Almeida – Universidade de São Paulo;
Gilberto Marcos Antonio Rodrigues – Universidade Federal do ABC;
Gustavo da Frota Simões – Universidade Federal de Roraima;
Ignacio Cano – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
João Alberto Alves Amorim – Universidade Federal de São Paulo;
José Antônio Peres Gediel – Universidade Federal do Paraná;
José Blanes Sala – Universidade Federal do ABC;
Júlia Bertino Moreira – Universidade Federal do ABC;
Leila de Carvalho Mendes – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Marilda Aparecida de Menezes – Universidade Federal do ABC;
Maurício Santoro – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Poliana Coeli Costa Arantes – Universidade do Estado do Rio de Janeiro;
Tatyana Scheila Friedrich –Universidade Federal do Paraná;
Thalita Melo – Universidade Estadual da Paraíba;
Viviane Mozine Rodrigues – Universidade Vila Velha.

 

Cátedra Sérgio Vieira de Mello

Este fórum acadêmico para a promoção dos direitos de refugiados é um dos objetivos da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). Desde 2003, o ACNUR implementa a Cátedra Sérgio Vieira de Mello (CSVM) em cooperação com centros universitários nacionais e com o Comitê Nacional para Refugiados (CONARE), para promover a educação, pesquisa e extensão acadêmica voltada a população em condição de refúgio Neste acordo de cooperação com as universidades interessadas, o ACNUR estabelece um Termo de Referência com objetivos, responsabilidades e critérios para adesão à iniciativa dentro das três linhas de ação: educação, pesquisa e extensão. Além de difundir o ensino universitário sobre temas relacionados ao refúgio, a Cátedra também visa promover a formação acadêmica e a capacitação de professores e estudantes dentro desta temática. O trabalho direto com os refugiados em projetos comunitários também é definido como uma grande prioridade. Como exemplos de iniciativas, diversas universidades têm desenvolvido ações para fomentar o acesso e permanência ao ensino, a revalidação de diplomas, assim como o ensino da língua portuguesa à população de refugiados. A importância desta iniciativa foi reconhecida pela Declaração e Plano de Ação do México para Fortalecer a Proteção Internacional dos Refugiados na América Latina, assinada em 2004 por 20 países da região e que recomenda a investigação interdisciplinar da promoção e da formação do direito internacional dos refugiados.

A Cátedra, como seu nome indica, é uma homenagem ao brasileiro Sérgio Vieira de Mello, morto no Iraque naquele mesmo ano e que dedicou grande parte da sua carreira profissional nas Nações Unidas ao trabalho com refugiados, como funcionário do ACNUR.

Comments

comments