Câmara dos Deputados derruba rotulagem dos transgênicos


Na calada da noite do dia 28, o projeto que acaba com a exigência de afixar o símbolo de transgenia nos rótulos de produtos geneticamente modificados (OGM) destinados a consumo humano. O texto modifica a Lei 11.105/2005 que determinava a obrigação da informação em todos os produtos destinados a consumo humano que contenham ou sejam produzidos com OGM ou derivados, por exemplo, milho, soja, arroz, óleo de soja e fubá. O resultado final foi de 320 votos a favor  da modificação da 11.105 e 120 contrários.

De acordo com o projeto, o aviso aos consumidores somente será obrigatório nas embalagens dos alimentos que apresentarem presença de organismos transgênicos “superior a 1% de sua composição final, detectada em análise especifica”.

Assim como ocorreu com a aprovação do projeto de lei sobre a biodiversidade, o debate sobre o fim da exigência do rótulo colocou em oposição deputados da bancada ruralista e defensores do meio ambiente, que argumentaram que o projeto retira o direito do consumidor de saber o que está comprando.

“Queria alertar que esse projeto visa a diminuir o nível de informações que tem hoje. Ele não está acrescentando nada; ele está retirando o direito do consumidor de saber que produto está levando para a sua casa”, disse o líder do PV, Sarney Filho (MA). O tom de crítica de Sarney Filho foi acompanhado pelo o vice-líder do PT, Alessandro Molon (RJ): “Se todo mundo aqui diz que o transgênico é uma maravilha, porque quer retirar o símbolo [que identifica o produto] do rótulo. Isso é muito contraditório”, ressaltou.

Ciente de seu peso e liberdade sob a condução do presidente da casa, deputado Eduardo Cunha, membros da bancada ruralista não escondem seus interesses econômicos a frente dos interesses da população. “Nós não podemos, nós mesmos, criar obstáculos para o consumo dos nossos produtos.”, reiterou o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), relator da matéria na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.

Ao fim da votação, os deputados contrários ao projeto conseguiram retirar do texto trecho que determinava que os alimentos que não contêm transgênicos só poderiam inserir na embalagem a informação “livre de transgênicos”, somente se houvesse produtos “similares transgênicos no mercado brasileiro e comprovada a total ausência no produto de organismos geneticamente modificados, por meio de análise específica.” “Não há motivo para inserir essa restrição no projeto”, disse Molon. O texto segue para análise e votação dos senadores.

Comments

comments

6 comentários sobre “Câmara dos Deputados derruba rotulagem dos transgênicos

  1. voces deputados sao as desgraças do nosso pais; temos vergonha de dizer que votamos em voces so fazem coisas que prejudica o povo e ainda vivem as custas do suor do povo brasileiro voces nao tem netos? como sera a saude de nossas criancas. pensa rebanho de desgraça.dinheiro nao e tudo.

  2. Todo ser humano tem o Direito à saber o que está consumindo. Será um absurdo o Congresso Nacional Impor que brasileiros (as) consuman “Gato por lebre” sem saber. Todos os Produtos Transgênicos devem ter T bem grande na Embalagem. Quer desejar consumí-lo, será libre, mas desejar Qualidade de Vida, nâo poderá Ser Enganado.