Movimento Mães e Pais na ciência cria programa para garantir permanência de alunas mães nos cursos de pós-graduação

A coordenadora do do GT de Educação Popular e Saúde da Abrasco, Luanda Lima, se tornou embaixadora da causa

Garantir que mães continuem seus estudos. Esse é o objetivo do Projeto AMANHÃ, iniciativa do movimento Parent In Science (em português, Mães e Pais na Ciência), que surge da necessidade de se discutir sobre a maternidade e a paternidade dentro do universo da ciência do Brasil. 

Criado em 2016 pela pesquisadora Fernanda Staniscuaski, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o grupo atualmente conta com a participação de 18 cientistas na coordenação central e de 73 cientistas embaixadores de centros de pesquisa de todo o Brasil. 

Pensando na situação dessas mães, o movimento criou o programa AMANHÃ, que oferece apoio às alunas mães na fase final dos cursos de pós-graduação, através de auxílio financeiro. Essa é uma forma de combater o conhecido “efeito tesoura”, que demonstra que a proporção de mulheres na ciência vai diminuindo com a progressão da carreira. Neste contexto, agravado pela pandemia de COVID-19, o programa AMANHÃ do Movimento Parent in Science surge como apoio para que alunas mães sigam seus estudos e diminuam essa disparidade. 

“É imprescindível que a gente debata o impacto da maternidade no trabalho, especialmente entre cientistas e trabalhadoras da Saúde Coletiva no contexto da pandemia de Covid-19 . A importância dessa iniciativa  é demonstrada pelas mais de 500 inscrições que recebidas em 18 dias com a plataforma aberta”, afirma Luanda Lima, da coordenação do GT Educação Popular e Saúde da Abrasco

Abrasco no Movimento Mães e Pais na Ciência


Recentemente, a abrasquiana foi nomeada embaixadora do movimento. Os embaixadores Parent in Science são representantes da causa nas instituições em que atuam, levando o Movimento para mais perto da sua comunidade acadêmica. O objetivo do programa é que estes cientistas desenvolvam atuação local para o desenvolvimento de políticas e ações de apoio à maternidade e redução das disparidades de gênero e raça, aumentando a diversidade no ambiente acadêmico.

Programa amanhã

Como o projeto não conseguiu financiamento institucional, a viabilidade do AMANHÃ depende de financiamento coletivo, que tem sido um sucesso. O financiamento já arrecadou mais de 60% do valor necessário, mas ainda precisa de apoio para atender ao maior número de pós-graduandas.

Por isso, o programa se encontra agora em fase de arrecadação de fundos para sua implementação. Caso você deseje contribuir com o projeto para que mais mães continuem seus estudos você pode doar fazendo um Pix para parentinscience@gmail.com.Ou, se preferir, contribua com a Vakinha.

Confira o levantamento clicando aqui.

Para mais informações clique aqui.

Comments

comments

Deixe uma resposta