Publicação destaca cooperação internacional entre países

Com o intuito de reunir o trabalho dos colaboradores sobre a diplomacia da saúde frente à pandemia de Covid-19, o Centro de Relações Internacionais (CRIS) da Fiocruz, em parceria com Editora Fiocruz , lançou o e-book “Diplomacia da Saúde e Covid-19 – Reflexões a meio caminho”. A organização da publicação é do coordenador do Comitê de Relações Internacionais da Abrasco, Paulo Marchiori Buss, e de Luiz Eduardo Fonseca. Ambos são também coordenadores do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (CRIS/Fiocruz). São 22 artigos com mais de 50 pesquisadores envolvidos sobre questões centrais da diplomacia em saúde no contexto da pandemia. O lançamento foi realizado com um debate virtual no dia 14 de dezembro.

Livro está disponível gratuitamente em PDF na plataforma Scielo.

Na divulgação da publicação, Paulo Buss destacou a importância da abordagem do livro para o atual momento: “A Covid-19 é o maior desafio e a maior ameaça que a humanidade enfrentou nos últimos cem anos. Para enfrentar adequadamente a pandemia, precisamos da ação do poder público e da sociedade civil dos países, mas também dependemos da cooperação internacional entre países e entre as sociedades civis dos países”. A reflexão do pesquisador da Fiocruz se estendeu para os diversos efeitos que a pandemia causa e que são abordados no livro, desde as questões de saúde até o aprofundamento das desigualdades em todo o mundo.

Já Luiz Eduardo Fonseca relatou que a construção do livro trouxe um grande aprendizado a todos os participantes do CRIS. O pesquisador apontou que a pandemia evidenciou alguns temas que vinham sendo pouco debatidos: “A pandemia escancarou a relação do homem com o meio ambiente, o planeta, com seus irmãos de outros países e as profissões e importância de cada setor. Escancarou também a grande desigualdade desse mundo, que contribui para o quadro dessa pandemia”.

A publicação também contextualiza a pandemia em meio a temas transversais, como economia, geopolítica e crise humanitária, englobando três perspectivas: a doença e suas circunstâncias, a diplomacia da saúde e Covid-19 e ações da Fiocruz. Além disso, aborda Ações de órgãos e agências internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), além de iniciativas multilaterais, como G20 e países do BRICS. Os capítulos abordam ainda as respostas de diferentes países e regiões do mundo, como Brasil, China, Estados Unidos, África, Oriente Médio, Europa, América Latina e Caribe.

Confira como foi o debate de lançamento na íntegra:

Comments

comments

Deixe uma resposta