Nota de solidariedade a Sonia Fleury

Sonia em debate sobre os sistemas de saúde na América Latina, em outubro de 2017, na ENSP/Fiocruz

O Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) vêm a público manifestar sua solidariedade à Professora Sonia Maria Fleury Teixeira, diante de sua demissão da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas – EBAPE/FGV. Sonia Fleury foi presidente do Cebes e diretora da Abrasco e é reconhecida como uma das pessoas mais influentes na construção do pensamento brasileiro e latino americano em saúde. Foi participante ativa da Assembleia Nacional Constituinte de 1988, onde contribuiu para a formulação do capítulo da seguridade social, mecanismo mais inovador e progressista de nossa carta cidadã. Sonia Fleury também contribuiu de forma exemplar para a incorporação da noção de cidadania como elemento de democratização da sociedade brasileira, através dos direitos sociais. Seus estudos ajudaram a construção do projeto da reforma sanitária brasileira como um projeto que não se restringe à assistência médica, mas é sim um projeto civilizador de ampliação da democracia e enfrentamento das desigualdades sociais.

A produção científica de Sonia Fleury, suas inúmeras palestras e conferências e suas aulas sempre magistrais formaram e influenciam ainda vários cursos de graduação e pós graduação, alunos, profissionais e atores da área de saúde. Causa-nos espanto sua demissão, sem nenhuma justificativa razoável, depois de mais de 30 anos de dedicação à EBAPE. A EBAPE sempre foi uma escola respeitada na área de saúde, por sua contribuição para a formação de quadros da administração pública. E Sonia Fleury, como cientista social de ponta, vinculou de forma singular a administração pública com as políticas sociais e de saúde, sempre enfatizando o sentido político da construção da igualdade. É com pesar que essa demissão indica para nós o distanciamento da EBAPE de seus compromissos históricos com as necessidades reais da sociedade brasileira, ao abrir mão de uma de suas principais intelectuais. Mas nosso reconhecimento, respeito e admiração permanecem, por sua garra e compromisso com a saúde pública e universal. Com Sonia aprendemos que renovação é construir sempre novos passos para defender de forma intransigente a democracia e os direitos sociais.

+ Leia a carta de Sonia Fleury sobre a demissão 

Comments

comments