Retrospectiva 2015 – Abrasco na imprensa


O ano começou com a divulgação nas mídias da Abrasco, da denúncia,  pelo Ministério Público Estadual, do diretor do Hospital da Unimed, no Rio de Janeiro, pela morte de Ana Carolina Domingos Cassino, de 23 anos. A 7ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal do Ministério Público estadual denunciou, em janeiro, os quatro médicos do Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, pelo homicídio culposo da farmacêutica. De acordo com o MP, a jovem morreu após uma sequência de “condutas médicas negligentes”.  A Abrasco acompanhou o caso ao longo de 2015, e em setembro, divulgou a multa aplicada pela Agência Nacional de Saúde (ANS) na Unimed, no valor de R$ 110 mil pela morte de Ana Carolina Cassino, após esperar 28 horas por uma cirurgia no hospital da empresa, em agosto de 2014. Ainda em janeiro, especialistas comentaram a criação de uma nova contribuição para financiar o SUS. A professora Ligia Bahia, membro do Conselho da Abrasco, falou ao jornal Estado de São Paulo e Revista Exame. Mario Scheffer, da Faculdade de Medicina da USP e da Comissão de Política da Abrasco falou ao jornal eletrônico Último Segundo, do portal IGà imprensa sobre cenário da saúde suplementar no país.

Em fevereiro, representante de entidade e prestadores de serviços de saúde privados opina sobre artigo ‘Grupo de Acesso’ de Ligia Bahia. A vice-presidente da Abrasco publicou no jornal o Globo, o artigo Grupo de acesso onde ressalta que ‘o capital estrangeiro na saúde não é a solução e nem um pecado’. Ainda em fevereiro, a Abrasco e CNS foram os entrevistados na matéria da Agência Brasil sobre a participação de Lígia Bahia, da Abrasco, e Maria do Socorro de Souza, do CNS, na 9ª Bienal da União Nacional dos Estudantes (UNE) que reuniu no Rio de Janeiro cerca de 12 mil estudantes de todo o país. Sobre o 14º Congresso Mundial de Saúde Pública, o jornal Correio Braziliense entrevistou o conselheiro e ex-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Luiz Facchini – ‘as condições de saúde das pessoas são determinadas por vários fatores, entre os quais, a pobreza é um dos principais’, disse Facchini.

Em março, abrasquianos apontam caminhos da Saúde em edição especial da revista Radis. Direitos indígenas, rumos para as políticas de Ciência & tenologia e soberania alimentar estavam entre os temas abordados na edição número 150 da revista. Avançar nas políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde e demais setores da conhecimento, garantindo condições para o desenvolvimento nacional, de forma sustentável e e soberana, foram o destaque na análise de Luis Eugenio de Souza, presidente da Associação. Inês Rugani, vice-coordenadora do GT Alimentação e Nutrição da Abrasco colocou no centro da agenda a implementação do Guia Alimentar para a população brasileira e a participação de nutricionistas, médicos e demais pesquisadores na 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. ‘Pessoas que foram eleitas pelo voto deveriam ser atendidas no SUS’ disse Ligia Bahia, vice-presidente da Abrasco, em entrevista concedida à jornalista Carla de Paula Pinto, da revista Healthcare Management sobre Saúde Pública e os desafios para 2015. Luis Eugenio falou de judicialização e de sua gestão frente a Abrasco em entrevista ao Observatório do ISC/UFBA. Matéria especial com presidente da Abrasco abordou a judicialização e as tensões da Saúde Coletiva.

Saúde Coletiva e Saúde Pública foram o tema da entrevista concedida, em abril, pela vice-presidente da Abrasco, Maria Fátima Souza ao programa Tarde Nacional, da Rádio Nacional de Brasília. Ouça aqui a entrevista. Também em abril, o jornal Folha de São Paulo abordou os resíduos de agrotóxicos que estão presentes até no leite materno, em reportagem de Claudia Colucci.

O lançamento do Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde, que aconteceu em 28 de abril, no Rio de Janeiro, movimentou, em maio, a imprensa pelo Brasil e não só. Os jornalistas expuseram a importância do tema em títulos como ‘Brasil mantém título de “Campeão Mundial dos Agrotóxicos”; ‘Dos 50 princípios ativos mais usados em agrotóxicos no Brasil, 22 estão banidos em outros países’; ‘Novo dossiê da Abrasco alerta que situação dos agrotóxicos no Brasil só piorou’ ou ‘Agrotóxico: o veneno mais consumido do Brasil’. Sites de instituições, organizações, associações e vários blogues também noticiaram o Dossiê Abrasco. Confira aqui a repercussão do lançamento do Dossiê Abrasco na imprensa.

Em junho, a Abrasco participa de debate sobre planos de saúde para trabalhadores. ‘Empresas devem assumir o papel do SUS na proteção à saúde dos trabalhadores, como propõe a PEC 451’ foi o tema da entrevista concedida pela vice-presidente Eli Iola Gurgel ao jornal mineiro O Tempo, que promove semanalmente um debate expondo dois artigos com posições (a favor e contra, ou em termos) sobre um tema atual. Já a edição do jornal televisivo Repórter Rio da TV Brasil, de 23 de junho, abriu com a história de Luciana Moisakis, advogada carioca que precisou entrar na justiça para conseguir internar a mãe em um Centro de Cuidados Intensivos. Depois de 30 dias de espera, Luciana conseguiu a internação – mas já era tarde, D. Maria faleceu 4 dias depois. Sobre o número de leitos em Centros de Terapia Intensiva no Rio de Janeiro, a TV Brasil ouviu a professora Ligia Bahia, ao vivo. Confira aqui a entrevista na íntegra. Ainda em junho, o Coordenador do GT Saúde e Ambiente da Abrasco concedeu entrevista à Rádio CBN sobre monocultura, agrotóxicos e transgênicos. O pesquisador Fernando Carneiro, falou ao programa CBN Total, no dia 19 de junho, sobre a venda de agrotóxicos no Brasil que aumentou 155% em dez anos, segundo o IBGE. O Simpósio Nacional de Saúde reuniu, em junho, autoridades, gestores e membros da sociedade civil para debater os rumos do setor no país. A mesa de abertura contou com a participação de Arthur Chioro; Jandira Feghali; Luis Eugenio de Souza; e Maria do Socorro de Souza.

A edição de 20 de julho trouxe, na coluna de Ancelmo Gois, a notícia do lançamento do primeiro ebook da Abrasco ‘A Saúde é coletiva’, que reúne os 10 artigos publicados no Jornal O Globo, entre agosto de 2013 e outubro de 2014, assinados por abrasquianos como Áquilas Mendes, Gastão Wagner Campos, Mauricio Barreto, Luís Eugenio de Souza, Cesar Victora, Fernando Carneiro, Rosana Onocko, Paulo Cesar Basta, Luiz Augusto Facchini, Naomar Almeida, Gulnar Azevedo e Estela Aquino. O Portal da Universidade Federal de Goiás divulgou em julho, entrevista com o professor Luis Eugenio de Souza, presidente da Abrasco, sobre o 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. Várias rádios repercutiram os temas do 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva: a afiliada goiana da Rádio CBN colocou o tema  “Saúde, Desenvolvimento e Democracia: o desafio do SUS universal” em pauta na programação. Entrevistou o presidente da Abrasco, Luis Eugenio de Souza, assim como a Rádio Brasil Central. Ouça aqui.

Em agosto, o 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva ganha importância na imprensa e leva a Saúde Coletiva para as páginas de jornais, programas televisivos e ondas radiofônicas por todo o Brasil. Durante o Abrascão 2015, a Associação enxergou a imprensa como um ator cada vez mais importante nas discussões políticas que definem a agenda da Saúde Coletiva no Brasil – um elemento fundamental na construção institucional do Abrascão, ao propagar sua produção científica. Confira aqui o apanhado de notícias do congresso na imprensa. Universalidade da Saúde e os ataques da Agenda Brasil foram tema de um artigo da Folha de S. Paulo, assinado pela jornalista Cláudia Collucci, que destacou a participação do ministro Arthur Chioro no Abrascão 2015. Entidades da Saúde abordaram na imprensa o financiamento do SUS à luz da Agenda Brasil e o vice-presidente da Abrasco, Nilton Pereira Júnior falou do papel da universalidade para SUS ao Diário do Nordeste, principal jornal do estado do Ceará e um dos impressos de maior alcance na região. ‘Médico diz que subfinanciamento é uma das principais dificuldades do SUS’ foi o título da matéria da Agência Brasil para a entrevista de Aline Leal com Luis Eugenio.

Portais e blogues repercutiram, em setembro, a Nota da Abrasco/Cebes  sobre a valorização do Sistema Único de Saúde – construção histórica do povo brasileiro, como resposta, e não como moeda de troca, diante de um cenário de incertezas econômicas e disputa política com as forças conservadoras, privatizantes e atrasadas da sociedade brasileira. A Nota ‘Dilma, preserve os interesses públicos na saúde! Saúde é Politica de Estado’, publicada pela Abrasco e pelo Cebes na sexta-feira, 25 de setembro, em resposta a possibilidade de a presidente Dilma Rousseff utilizar o Ministério da Saúde como instrumento de barganha em troca do apoio da base parlamentar do PMDB, foi divulgada pela Carta Maior, Combate Racismo Ambiental e El País.

No mês de outubro, a professora Ligia Bahia, membro da Comissão de Política, Planejamento e Gestão da Abrasco, descreveu o cenário da Saúde no Brasil, diante da austeridade. Confira o artigo na íntegra, publicado no jornal O Globo, na segunda-feira 26 de outubro: ‘Atmosfera malsã‘. O Cenário de total desregulação sobre agrotóxicos foi destaque na imprensa, a matéria da Folha de São Paulo ouviu diversos especialistas da Defensoria Pública, pesquisadores e economistas. O Dossiê Abrasco e autores da obra serviram de fonte para reportagem. Ainda em outubro, o SUS e planos de saúde estiveram em debate no Observatório de Imprensa – ‘O Brasil não tem renda capaz de sustentar seu atual mercado de planos de saúde, que tem mais de 50 milhões de clientes’, disse a pesquisadora Ligia Bahia, durante o programa exibido na quinta-feira, 22 de outubro, pela TV Brasil. Luis Eugenio falou de judicialização e de sua gestão frente a Abrasco em entrevista ao Observatório do ISC/UFBA. Matéria especial com presidente da Abrasco abordou a judicialização e as tensões da Saúde Coletiva.

Em novembro, Ligia Bahia, abrasquiana integrante da Comissão de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, abordou as consequências físicas, sexuais e mentais para mulheres e meninas, que sofrem violência doméstica. O artigo foi publicado dia 23 de novembro, no jornal O Globo. Confira na íntegra.

Dezembro começou com o artigo do professor Mario Scheffer, vice-presidente da Abrasco, sobre um Brasil sem Aids. O artigo foi publicado em 1ª de dezembro, Dia Mundial de Luta contra o HIV, no jornal Folha de São Paulo. O último mês do ano também marcado pelo combate ao mosquito Aedes Aegypti, em dezembro a Abrasco pontuou a imprensa sobre a epidemia. Gastão Wagner falou sobre surto de microcefalia, ao vivo, para jornalista Tatiana Vasconcellos da rádio Band News FM. O presidente da Abrasco também defendeu uma nova estratégia para o combate ao Aedes aegypti em entrevista à Agência Brasil. A Abrasco participou ainda de matéria sobre cenário econômico dos planos de saúde, o vice-presidente, José Sestelo concedeu entrevista ao jornal Estado de Minas, a matéria mostra que, independentemente do cenário econômico, um SUS público e integral é melhor do que qualquer plano privado. As rádios Nacional de Brasília, Nacional do Rio de Janeiro e MEC AM realizaram uma mesa redonda com a participação de Gastão Wagner de Sousa Campos, Lenir Santos e Terezinha Alves Borges. A opinião do presidente da Abrasco, professor Gastão Wagner de Sousa Campos, sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, foi publicada no jornal O Estado de Minas, na segunda-feira, 7 de dezembro. Edição brasileira do Le Monde Diplomatique publica artigos da Abrasco, assinados por Gastão Wagner e José Sestelo. ‘A medida da fila’ reportagem especial da Radis ouve Abrasco – todos os especialistas consideraram que o grande nó do problema permanece na atenção básica. Ouve ainda a repercussão da imprensa sobre nomeação de Valencius Wurch Duarte Filho para o cargo de Coordenador Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do Ministério da Saúde. Ainda sobre este assunto, a professora Rosana Onocko Campos, membro do Grupo Temático de Saúde Mental da Abrasco opinou sobre a nomeação do médico psiquiatra Valencius Wurch Duarte Filho, em artigo publicado no jornal O Globo.

 

 

 

Comments

comments