Nosso adeus a Simone Leite

O movimento social da saúde registra mais uma importante perda com o falecimento de Simone Maria Leite Batista, militante do SUS, da Educação Popular em Saúde e das Práticas Integrativas e Complementares. Devido a um mal súbito com pico de hipertensão neste sábado, 12 de junho, Simone veio a óbito aos 64 anos. Deixa o marido e três filhos, além da saudade em diversos companheiros e companheiras de luta.

Formada em Enfermagem pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), especialista em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) e servidora vinculada à Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju, Simone tem sua trajetória ligada diretamente à organização do movimento de Educação Popular em Saúde.

Ajudou a construir o Movimento Popular de Saúde (MOPS) tanto na cidade de Aracajú, na qual chegou a ser secretária-adjunta de Saúde, em 1988, como no estado, somando na organização da Rede Nacional de Educação Popular em Saúde (Redepop), na década de 1990. Junto com diversas organizações, Simone contribuiu para a institucionalização do campo da Educação Popular dentro do Ministério da Saúde. O envolvimento num trabalho horizontal, em rede e marcado pela ação freireana, solidária e militante deu as bases para a fundação da Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular em Saúde (Aneps) em 2003, cuja presidência era exercida por Simone. A coroação dessa construção chegou quase 10 anos depois, com a Política Nacional de Educação Popular em Saúde (PNEPS-SUS), ainda que nunca plenamente efetivada – Leia mais na matéria de 20 anos do GT EPS/Abrasco.

“Simone foi uma pessoa fundamental na organização das Tendas Paulo Freire, espaços de diálogo nos diversos eventos da Saúde Pública e Coletiva brasileira. São espaços de cuidado muito procurados e que reúnem cuidadoras e cuidadores das mais diversas práticas Integrativas e complementares em Saúde e de todos os lugares do país. Ela era não só uma voz que demandava esses espaços, mas também braços e coração incansável nas realizações das Tendas”, destaca Luanda Lima, da coordenação do Grupo Temático Educação Popular em Saúde (GT EPS/Abrasco), que frisa também a parceria entre as entidades, renovada com o certificado de homenagem e reconhecimento que a Aneps concedeu à Abrasco no Dia Mundial da Saúde deste 2021.

Simone também era Conselheira Nacional de Saúde e coordenava a Comissão Intersetorial de Promoção, Proteção e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, tendo sido uma importante ativista também pela instituição da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (PNPIC-SUS). “Simone teve participação importante na realização do II CongrePICS em 2019, no interior de Sergipe. Sua memória deixa viva as lutas e inspiração em defesa de políticas públicas , da saúde pública brasileira e dos movimentos populares e tradicionais em saúde”, ressalta Marilene Cabral Nascimento, coordenadora do Grupo Temático Racionalidades Médicas e Práticas Integrativas e Complementares (GT RM-PIC/Abrasco).

“Simone foi uma importante promotora da aproximação desses dois campos de práticas – Educação Popular e PICS, fazendo parcerias com várias universidades em cursos de formação de terapeutas com esse duplo olhar”, registra Pedro Cruz, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Paraíba (PPGSC-UFPB), integrante e ex-coordenador do GT EPS/Abrasco, amigo e parceiro de Simone na realização das Tendas nas edições do 7º Congresso de C. Sociais e Humanas em Saúde, em Cuiabá, 2016, no Abrascão 2018, no Rio de Janeiro, e no 8º CBCSHS, em João Pessoa, em 2019.

Em nome de ambos os grupos temáticos e do conjunto da diretoria da Associação, expressamos nossos sinceros sentimentos e solidariedade aos amigos e familiares, e manteremos a chama da vida de Simone Leite em nossas ações.

Comments

comments

Deixe uma resposta