Nosso adeus a Marco Aurélio Da Ros

Com pesar a Abrasco – Associação Brasileira de Saúde Coletiva se soma no pesar pelo falecimento de Marco Aurélio Da Ros, médico sanitarista e professor doutor aposentado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), nesta quarta-feira, dia 16. Marcão, como era conhecido por estudantes, colegas e demais militantes do movimento sanitário, foi um agerrido militante pelo direito à saúde, bandeira política e científica que ganhou materialidade nos debates e na construção do Sistema Único de Saúde (SUS), o qual tanto se orgulhava de ser um dos construtores.

Marcão formou-sem em Medicina em plena ditadura militar, ao qual posicionou-se centralmente contrário, tendo sido até preso pelo aparato repressor. Realizou o curso de mestrado em Saúde Pública pela Fiocruz, tendo sido orientado por Sergio Arouca, e o doutorado em Educação, pela UFSC.

Ingressou no corpo docente da Instituição, no Departamento de Saúde Pública, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) pelo qual lecionou durante 34 anos, de 1977 a 2011. Atuou na formação de médicos para o Sistema Único de Saúde (SUS), lecionando no Programa de Residência Multiprofissional e Especialização em Saúde da Família, cuja criação junto ao Ministério da Saúde foi sua iniciativa. Também lecionou em outras instituições, como a Unisul e a Univali.

Em suas falas nas inúmeras participações em eventos, Marco Aurélio Da Ros sempre disse que o SUS é um patrimônio público que a população não defende. A falta de valorização da saúde pública era uma crítica presente nas falas do professor Marcão. Em 2019, durante um evento em comemoração aos 30 anos do SUS, o professor lembrou que o SUS é “um modelo mundial de sistema público de saúde, admirado, estudado e seguido nos mais diversos países do mundo, mas que a própria população pouco se mobiliza para defender”.

Na atuação sindical, presidiu a oApufsc – Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina, entre os anos de 1991 e 1992. Integrou a Comissão da Memória e Verdade da UFSC, criada para apurar e identificar atos arbitrários, violentos e de cerceamento das liberdades individuais e dos direitos humanos que atingiram a comunidade da universidade no período de 1º de abril de 1964 a 5 de outubro de 1988.

A Abrasco se solidariza com a família, amigos e alunos, e lembrará da trajetória de Marcão em prol da Saúde Coletiva brasileira e latino-americana. O velório será nesta quinta-feira, 17 de novembro, das 14h às 17h, no cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis.

Confira a matéria em homenagem da UFSC
Confira a matéria em homenagem da oApufsc
Leia a nota de pesar da SBMFC

Comments

comments

Deixe um comentário