GT Monitoramento e Avaliação reúne-se em Natal

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aproveitando a programação pré-congressual do 3º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, o Grupo Temático Monitoramento e Avaliação (GT Avaliação/Abrasco) definiu novas formas de funcionamento. “Consideramos importante a renovação dos métodos de trabalho, tendo em vista a Abrasco ter incorporado a graduação em Saúde Coletiva, além da grande expansão dos programas de pós-graduação, envolvendo polos importantes na região norte, nordeste e centro-oeste, que necessitam de maior incentivo e processo de apoio”, explicou Oswaldo Tanaka, coordenador do GT Avaliação/Abrasco e professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP).

A expectativa é que haja maior participação com representatividade das distintas instituições e de membros associados vindos de serviços de saúde para propiciar mais troca de conhecimentos e de práticas que alavanquem o GT. Para isso, foram definidos cinco grupos de trabalho que abordarão os eixos: identidade, disseminação, cooperação, formação e compartilhamento. Cada eixo tem um responsável pela facilitação e ativação dos trabalhos, compondo assim uma gestão compartilhada. “Esperamos isso resulte em outra dinamicidade para o GT, e que, à medida em que os eixos apresentarem contribuições, possamos produzir um plano de trabalho”, frisou Tanaka, à frente do eixo cooperação. Confira abaixo a nota aprovada pelo GT Avaliação/Abrasco:

Nós, do Grupo Temático Monitoramento e Avaliação (GT Avaliação/Abrasco), reunidos em 01º de maio de 2017, na cidade de Natal/RN, durante o III Congresso Brasileiro de Políticas, planejamento e gestão em Saúde, reafirmamos nosso compromisso com o direito à saúde no sentido de legitimar o Sistema Único de Saúde (SUS) perante à população, e contribuir com as proposições e direcionamento das políticas públicas, e com o fortalecimento das práticas de gestão e controle social.

Diante deste compromisso, assumimos:
– Compartilhar saberes e práticas de avaliação em saúde;
– Estimular a formação em avaliação na saúde;
– Estabelecer a integração e articulação entre os grupos que atuam na área de avaliação;
– Disseminar modelos e abordagens de avaliação para potencializar o uso da avaliação em saúde na tomada de decisão;
– Propor diretrizes que contribuam para o uso, a institucionalização e a sustentabilidade da avaliação;
– Incentivar fomentos específicos para pesquisa em avaliação;
– Fomentar a cooperação em avaliação junto aos gestores, trabalhadores e usuários do SUS.

GT Avaliação/Abrasco

Comments

comments