Abrasco mobiliza estruturas internas para consolidação da versão 2 do Plano de Enfrentamento à Covid-19

Representantes de comissões, comitês, fóruns e GTs; membros da diretoria; e Secretaria Executiva e Comunicação da Abrasco

Reunidos virtualmente em 15 de julho de 2020, mais de quarenta abrasquianos e abrasquianas representantes de comissões, comitês, fóruns, grupos temáticos e redes organizadas e constitutivas da Abrasco apresentaram suas contribuições ao Plano Nacional de Enfrentamento à Pandemia de Covid-19 (PEP-Covid-19) e debateram os desdobramentos das transmissões da Ágora Abrasco. O encontro, ao mesmo tempo produtivo e acalentador, mostrou uma associação diversa em temáticas e visões, mas coesa em torno de um projeto: fazer dos conhecimentos teóricos e práticos da Saúde Coletiva verdadeiras ferramentas cidadãs, agora condensadas no Plano que busca entender a complexidade da pandemia de Covid-19, um dos maiores desafios sanitários da história recente, e apresentar contribuições e recomendações baseadas na ciência e na perspectiva da equidade.

+ Acesse a memória desta reunião

Coube a Gulnar Azevedo, presidente da Associação, fazer a fala de abertura, na qual contextualizou a construção do PEP-Covid-19, abordando sua relevância acadêmica e para a sociedade civil. “O que estamos fazendo é fruto de tudo que foi plantado nos nossos congressos e encontros; no trabalho de gestões anteriores, e inclusive lá atrás, há mais de 30 anos, na construção do SUS. Por tudo isso, foi possível a Abrasco chegar nesse momento de enorme desafio e apresentar esse acúmulo” pontuou a presidente, destacando também as contribuições e trajetórias das demais entidades signatárias.

Coordenador científico responsável pela concatenação das diversas contribuições, Naomar de Almeida Filho ressaltou o caráter coletivo e inclusivo do processo de redação do Plano, que teve várias minutas até chegar nas suas versões consolidadas e públicas. “O Plano cobre não só uma lacuna, ou omissão, de não existir nada parecido no cenário nacional, e introduz uma certa metodologia que não seria fácil num documento governamental, com essas propriedades de mobilização que esse trabalho abriu”.

Ágora: espaço para consolidação de ideias da Saúde Coletiva

Naomar frisou que o Plano não é um documento encerrado em si mesmo e que se buscará formas dialogadas de mantê-lo vivo e atualizado. Um dos espaços possíveis para tal é a Ágora Abrasco, segundo ponto de pauta da reunião.

Thiago Barreto, secretário-executivo da Abrasco, apresentou dados das 52 sessões já realizadas e também das agendadas e de algumas sondagens de de GTs, junto com as métricas que corroboram o alcance e o sucesso da estratégia. A TV Abrasco, canal da Associação no YouTube, apresentou crescimento de quase 400%, de abril a julho deste ano.

No conjunto, os abrasquianos e abrasquianas presentes trouxeram as contribuições de suas redes para a redação do Plano, cientes de que é necessário ao documento uma visão panorâmica e que também trate das alteridades das coletividades. Elogiaram também o trabalho da Ágora Abrasco desenvolvido pela Direção, Secretaria-Executiva e Comunicação da entidade, e ficaram de voltar às suas redes e composições para pensar formas de desdobrar a Ágora, que se firmou como espaço para consolidação de ideias da Saúde Coletiva.

À tarde, o conjunto de entidades responsáveis pelo PEP-Covid-19 e que compõem a Frente Pela Vida fizeram uma reunião para aprovação da versão 2. Para facilitar ainda mais o entendimento e ir direto ao ponto, foi redigido um Sumário Executivo, em diálogo direto com as recomendações. No site da Frente Pela Vida você encontra o Plano Nacional – versão 2; Sumário e recomendações, e Resumo Executivo.

Comments

comments

Deixe uma resposta