Capes passa a exigir número ORCID em processos de concessão de bolsas em programas internacionais

Em comunicado oficial à comunidade científica, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informa que solicitará dos candidatos e candidatas a bolsas e financiamentos de seus programas internacionais a apresentação do código de cadastro na Open Research and Contributors Identification (Identificação Aberta de Pesquisa e Colaboradores), mais conhecida como ORCID.

Gratuito, o número ORCID é um “nome” digital permanente para identificação de pesquisadores. O código tem 16 dígitos e é único para cada pessoa. Essa característica impede ambiguidades na identificação de autores e colaboradores em publicações e instituições. Seu funcionamento é semelhante ao Digital Object Identifier (DOI), código para objetos como artigos científicos, teses e dissertações.

Além de receber o código, os inscritos na ORCID podem construir um perfil pessoal para destacar sua produção acadêmica/técnica e trajetória profissional, semelhante a um currículo. No entanto, o número ORCID não vai substituir a exigência do Currículo Lattes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), nas candidaturas aos programas e editais da Capes.

+ Leia a matéria da Revista Fapesp sobre a ORCID

A ORCID é uma organização sem fins lucrativos sediada nos Estados Unidos e criada em 2010 por universidades, laboratórios, empresas e editoras científicas. O objetivo de criar um identificador permanente que torne possível relacionar de maneira confiável pesquisadores a suas contribuições e afiliações institucionais teve seu primeiro passo em outubro de 2012, com o lançamento do identificador. Segundo a própria organização, atualmente são mais de 3 milhões de registros. A adoção do código é uma tendência mundial das organizações ligadas a pesquisa. Em 2015, um grupo de grandes editoras científicas passou a exigir o código no processo de submissão de artigos científicos. Em 2016, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) foi a primeira instituição brasileira a se tornar membro da ORCID, seguida pelas Universidades de São Paulo (USP), e Estadual de Campinas (Unicamp). Confira aqui a publicação original da Coordenação de Comunicação Social da Capes. 

Comments

comments