Esquenta Abrascão discute caminhos para o enfrentamento do racismo na Saúde Coletiva

Entrando no clima do 13º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, a Abrasco tem organizado desde maio o Esquenta Abrascão. Na transmissão mais recente, realizada no dia 28/07, o tema da conversa foi “Saúde da População Negra: Caminhos para o enfrentamento do racismo na Saúde Coletiva“.

“Para um Brasil novo, penso que a política nacional de saúde integral da população negra possa alicerçar toda e qualquer possibilidade de planejamento, de gestão, de dados epidemiológicos e que sobretudo alcancem aquele que deveria alcançar, que somos nós”, destacou Márcia Alves, do GT Racismo e Saúde/Abrasco.

O debate também fez parte da Mobilização Pró-Saúde da População Negra, promovida durante o mês de julho, e das celebrações do Dia da Mulher Negra da América Latina e Caribenha (25/07).

Os participantes da roda foram Ionara Magalhães (UFRB), GT Racismo e Saúde/Abrasco; Elisa Urbano Ramos – Pankararu, coordenadora do Departamento de Mulheres da Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme); Márcia Alves (UFRJ), GT Racismo e Saúde/Abrasco; Gabriela Silva (UFBA); João Luís Dornelles Bastos (UFSC), GT Racismo e Saúde/Abrasco; Maria Fernanda Tourinho Peres (USP), GT Violência e Saúde/Abrasco, sob coordenação de Diana Anunciação (UFRB), do GT Racismo e Saúde/Abrasco e Raquel Souzas (UFBA), do GT Racismo e Saúde/Abrasco.

Além do debate sobre a necessidade de melhorias de dados e planejamento na PNSIPN, o evento discutiu também interseccionalidades, a produção científica na área, o tratamento de pacientes com anemia falciforme, a violência policial e o racismo estrutural. Assista a live abaixo.

Comments

comments

Deixe um comentário